Pular para o conteúdo principal

Ontem e hoje - por Josibias Bezerra Silva

 

No começo Você fez tudo:

A terra , o dia, a noite e o mar,

Deu a vida ao homem

E no mundo a ele não deixou nada faltar.



Depois Você voltou, ensinando o caminho certo,

Mostrando o côncavo e o convexo de tudo,

Dizendo que além dessa vida há outra,

E além dessa terra existe outro mundo.



Mas isso não foi o suficiente

Para o homem colocar na mente,

Que acima dele existe superioridade,

Que Você de todo fruto é a semente,

E de tudo, o caminho, a vida e a verdade.



E por instinto ou talvez por ignorância,

Como uma criança malvada,

O homem lhe xingou, lhe bateu, lhe cuspiu, lhe crucificou,

E aclamou: Jesus Cristo, o rei de nada.



Hoje os tempos mudaram; todo homem tem cultura, todo homem é civilizado.

O progresso, o sucesso ou a ambição,

Cada um por si, mesmo vendo morrer de fome o irmão.



Com a inteligência doada por Ti

Ele faz guerra, inventa muitas formas

Para fazer da terra

Um campo de horror,

Onde grita o mais fraco

Pedindo clamor.



Mas Você não desiste, vem como um mendigo e insiste,

Batendo às portas, pedindo um pedaço de pão,

Querendo entrar.

E como antigamente, não é dividida a refeição,

E como sempre, não há lugar.



Não há lugar numa casa,

Numa escola, numa rua, numa vida, num coração;

Porque ao contrário de Ti, o homem sente fome de ambição.



Dizem que Você vem de novo,

Eu peço, não venha.

Desta vez eles não o crucificarão,

Desta vez será, uma câmara de gás, um raio laser,

Um míssil ou um canhão.



Mestre não virá,

O homem é aquele de sempre,

Nunca aprendeu a ser gente

Nunca aprendeu a amar...


Do livro: O mundo, a vida e a verdade. ( Josibias Silva)


Josibias Bezerra Silva é escritor, radialista, fotógrafo e funcionário público municipal em Catende- PE.


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio