Pular para o conteúdo principal

O discurso de ódio... - por Pr. Cláudio Godoy

 Porquanto homens ímpios e falsos propagam mentiras contra mim, e espalham calúnias a meu respeito. Cercam-me com discursos de ódio e combatem-me sem motivo. (Salmos, 109:2-3)


Discurso de ódio: ”Tradução do inglês: hate speech ou incitamento ao ódio é, de forma genérica, qualquer ato de comunicação que inferiorize ou incite ódio contra uma pessoa ou grupo, tendo por base características como raça, gênero, etnia, nacionalidade, religião, orientação sexual ou outro aspecto passível de discriminação”.



Até na Bíblia Sagrada, na tradução da versão do Rei James, do século XVII, uma passagem do livro de Salmos escrito cerca de 1.440 anos a.C. temos um termo traduzido como “discursos de ódio”. O que de fato é o discurso de ódio? Quem faz e quem é a vítima? Na mídia dominada por um viés ideológico de Esquerda, o termo é associado ao “Gabinete do Ódio”. O que me chamou atenção na leitura bíblica, foi a passagem anterior se referir há: ” Porquanto homens ímpios e falsos propagam mentiras contra mim, e espalham calúnias a meu respeito”. O discurso de ódio é sempre precedido por mentiras? O pai da mentira é o Diabo. A mentira é uma arma poderosa. O nazista Joseph Goebbels, disse: “Diga uma mentira mil vezes que ela se torna uma verdade”. Isso é uma mentira, repetir uma mentira não faz dela uma verdade.


O bombardeio midiático de saturação, tem como objetivo destruir a capacidade de defesa cognitiva justamente pela intensidade e cadencia do ataque. As hienas do Marxismo Cultural, atacam em bandos de forma sincronizada de diversos lados ao mesmo tempo. Acusar cristãos conservadores de serem propagadores do “discurso de ódio”, virou um mantra. Agora virou regra, a resposta automática a todo o discurso Conservador é que ele é um discurso de ódio? Se deixamos bem claro que de acordo com nossa teologia o casamento é uma instituição divina entre heterossexuais, homem XY e mulher XX, formando um casal que pode se reproduzir para perpetuar a espécie. Logo o movimento LGBT, massa de manobra da Esquerda ataca, nos acusando de discurso de ódio. E o fazem com toda a violência, carregada de ódio.


Eu nunca vi o MST, um grupo terrorista de extrema Esquerda, ser classificado pela mídia de viés ideológico de Esquerda, de ser um grupo extremista com discurso de ódio, apesar de seu modus operante ser sempre a violência. No entanto a liberdade de expressão de grupos conservadores como os cristãos, está sendo censurada por serem classificadas de “discurso de ódio”, por grupos que não concordam com o pensamento conservador cristão. Hoje a teologia cristã está sendo acusada de ser um discurso de ódio. Afinal simplesmente falar que o pecador não terá a vida é eterna é para o pecador um discurso de ódio. Dentro deste contexto o cristianismo está sendo genericamente classificado como discurso de ódio. Pregar a teologia cristã virou ato de comunicação que inferioriza ou incita o ódio contra pessoas ou grupos que pensam diferente?


A resposta tem sido um verdadeiro discurso de ódio contra cristãos conservadores. E aos poucos a mídia vai promovendo um sofisma de que o pensamento cristão conservador é um pensamento radical de extrema Direita, praticamente um fascismo. E isso é feito por grupos de extrema Esquerda, motivados e usando modus operante do discurso de ódio. A percepção sobre o que é ou não um discurso de ódio passou a ser definida pelo efeito de paralaxe, onde quem está no campo da Esquerda ideológica, sempre visualiza o pensamento cristão conservador como um discurso de ódio...


Pr. Cláudio Godoy BH-MG

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas