Pular para o conteúdo principal

Trump declara 22 de janeiro dia da ‘Santidade da Vida Humana’

 O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, emitiu uma declaração, no último domingo (17), proclamando a próxima sexta-feira (22) como o Dia Nacional da Santidade da Vida Humana. Abertamente contrário à prática do aborto, o presidente americano destacou no documento a importância de combater o aborto e de defender a vida dos recém-nascidos.


– Por causa da devoção de inúmeros pioneiros pró-vida, o chamado para que todas as pessoas reconheçam a santidade da vida está ressoando mais alto na América do que nunca. Na última década, a taxa de abortos diminuiu constantemente e, hoje, mais de três em cada quatro americanos apoiam as restrições ao aborto – afirmou.


Trump também ressaltou o trabalho realizado por ele durante o mandato para defender a vida – como a reinstituição da Política da Cidade do México, que evitou financiamento dos Estados Unidos a entidades relacionadas ao aborto – e a defesa na ONU dos países que são contrários ao procedimento.

– Tive o profundo privilégio de ser o primeiro presidente da história a participar da Marcha pela Vida, e é o que motiva minhas ações para melhorar a adoção e o sistema de acolhimento de nossa nação, garantir mais financiamento para pesquisas sobre a síndrome de Down e expandir na saúde serviços para mães solteiras – escreveu.

Por fim, o chefe de Estado pediu que os cidadãos americanos continuem refletindo sobre as vidas perdidas por conta da prática do aborto e que movimentos pró-vida continuem atuando para defender a vida das crianças.

– Peço a cada cidadão desta grande nação que ouça o som do silêncio causado por uma geração perdida para nós e, então, levante sua voz por todos os afetados pelo aborto, tanto [os] visíveis quanto [os] invisíveis – completou.


Trump fez forte declaração contra o aborto ao proclamar dia da Santidade da Vida Foto: Pixabay
Fonte: Pleno News



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid