Pular para o conteúdo principal

Hospital Mestre Vitalino começa vacinação contra a covid-19

 Na manhã desta quinta-feira (21), o secretário estadual de Saúde, André Longo, esteve no Hospital Mestre Vitalino para dar início à vacinação dos profissionais de Saúde que atuam na assistência dos pacientes com a Covid-19 na unidade. A primeira profissional vacinada foi a técnica em enfermagem, Cleonice Luna Epifânio, 53 anos, que atua no setor de hemodiálise do HMV e há oito meses está na linha de frente.

 

Em um discurso emocionante a profissional destacou a importância do momento e a esperança de vida nova que nasce com a chegada da vacina. “Agradeço primeiramente a Deus por este momento e também as autoridades pelo empenho. Estou feliz e grata de ter sido escolhida para representar todos os profissionais do Hospital Mestre Vitalino. A vacina renova as nossas esperanças, traz a sensação de vida nova”, pontuou.

 

Na oportunidade estiveram presentes também a superintendente de Imunizações da SES-PE, Ana Catarina de Melo; a gerente da IV Geres, Mº Aparecida de Souza e a deputada estadual Laura Gomes. “Nós iniciamos hoje um momento que foi muito esperado por todos os profissionais que arduamente combatem há meses esta doença que vitimou tantas pessoas. Ainda temos muito trabalho pela frente, mas agora seguiremos com esperança de dias melhores”, disse Dr. Marcelo Cavalcanti, diretor geral do HMV.



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos. A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados. Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocup