Pular para o conteúdo principal

Os melhores looks para o Natal ou Réveillon com os melhores preços

 O fim de ano já está batendo à porta e se você ainda não sabe onde comprar o seu look para as festas, o Polo Caruaru é uma excelente opção para quem quer variedade, estilo e preço justo. São mais de 200 lojas com diversas opções de roupas femininas, masculinas e infantis, além de calçados e acessórios para passar o fim de ano. E como muita gente vai passar em casa por conta da pandemia, as apostas vão para as roupas confortáveis e leves. 





Quem está procurando modelagens de vestidos soltinhos ou macaquitos pode encontrar uma grande variedade de estampas e modelagens, na Bella Mulata. Para quem busca mais sofisticação para uma festa de formatura ou casamento, vale uma passada na Garota Rebelde que tem várias opções de vestidos de festa. Já para os homens que querem elegância, a aposta fica por conta das calças de alfaiataria com camisas. Para quem vai passar as festas na praia, não faltam opções de bermudas mais casuais com a certeira camisa de linho branca ou neutra. Essas opções são clássicas para o fim do ano e podem ser encontradas, entre outras lojas, na Nígila e na Medida Certa.

E o melhor: nossos visitantes ainda podem concorrer a prêmios com uma campanha “Bom de Comprar, Melhor Ainda de Ganhar”, que vai sortear prêmios que são o desejo de muita gente: tem moto, bicicleta, geladeira, TV, Celular, notebook, vale-compras e muito mais. Para participar, o cliente deve juntar R $ 100 em notas de compras nas lojas e caixas do Polo e trocar por um cupom no guichê montado na Praça de Eventos, na área central do Polo.

O Polo Caruaru está seguindo todas as medidas de segurança e proteção contra a disseminação do coronavírus. O centro de compras vai funcionar em horário normal, das 9h às 18h todos os dias, com exceção do dia 25 de dezembro e primeiro de janeiro, quando estará fechado.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas