Pular para o conteúdo principal

Nutrição e Saúde | Tenho hipertensão. O que realmente não posso comer? - por Jailson Cavalcante

Quando há diagnóstico de hipertensão, a alimentação adequada é um fator muito importante para garantir o saudável funcionamento de todo o organismo e assim evitar males decorrentes deste quadro. Coisas básicas, que quaisquer pessoas já deviam fazer- mesmo sem hipertensão – como por exemplo: evitar adicionar sal durante o preparo das refeições e evitar o consumo de alimentos industrializados ricos em sódio, que é a substância responsável pelo aumento da pressão arterial. Para além disso, deve-se estar atento para alguns alimentos específicos, que nem todos sabem que são prejudiciais, como por exemplo o consumo de café, chá verde e alimentos ricos em gordura, como carnes vermelhas, linguiça, salame e bacon.


Afinal, o que é “hipertensão”?

A hipertensão é o aumento da pressão dentro dos vasos sanguíneos, que pode levar à complicações como insuficiência cardíaca, perda de visão, AVC e insuficiência renal, sendo importante fazer o tratamento adequado com dieta e medicação para prevenir esses problemas.



O que posso comer?

Para controlar a hipertensão, deve-se fazer uma alimentação rica em frutas, legumes e alimentos integrais, como sementes, arroz, pão, farinha e macarrão integrais, e grãos como aveia, grão-de-bico e feijão.

Também é importante consumir alimentos com pouca gordura, preferindo leite e derivados desnatados e peixes e carnes magras. Além disso, deve-se investir em gorduras boas, utilizando o azeite para preparar os alimentos e consumindo diariamente frutas e sementes ricas em ômega-3, como linhaça, chia, castanha, nozes, amendoim e abacate.


E o que devo evitar?

Para combater a hipertensão, deve-se evitar adicionar sal para preparar os alimentos, substituindo esse produto por ervas aromáticas que dão também dão sabor à comida, como alho, cebola, salsa, alecrim, orégano e manjericão.

Também é importante evitar o consumo de alimentos industrializados ricos em sal, como amaciantes de carne, caldos de carne ou de legumes, molho de soja, molho inglês, sopas em pó, macarrão instantâneo e carnes processadas, como linguiça, salsicha, bacon, presuntos e salame.

Além do sal, deve-se evitar o consumo de alimentos ricos cafeína, como café e chá verde, bebidas alcoólicas e alimentos ricos em gordura, como carnes vermelhas, frituras, pizzas, lasanha congelada e queijos amarelos, como cheddar e o prato, pois o excesso de gordura favorece o aumento de peso e o aparecimento de aterosclerose, que pioram a hipertensão.

Além da alimentação, é importante lembrar que muitas vezes também é necessário tomar remédios para controlar a pressão de acordo com a orientação do seu médico e praticar atividade física regularmente - acompanhado de orientação de um profissional de educação física - para baixar a pressão e melhorar a circulação sanguínea. E não esquecer de algo trivial: beber água. A água melhora a circulação sanguínea, hidrata seu corpo para que todas as células funcionem adequadamente e evita assim uma série de inúmeros problemas cardiovasculares

Em suma, manter ou aderir a hábitos saudáveis evita que seu quadro de saúde piore, lhe proporciona qualidade de vida e é algo que vale a pena. Sua integridade física é você e depende de você. Sempre que estiver com uma rotina muito corrida, nível de estresse alto, muitas preocupações com contas a pagar etc., lembre-se que isso faz parte da vida, mas a vida não é só isso. E para viver os momentos bons, solucionar problemas e ter um futuro melhor ao lado de pessoas que ama, você deve cuidar de sua saúde da mesma forma como você respira: todos os dias, a cada momento.



Jailson Cavalcante é nutricionista

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio