Pular para o conteúdo principal

Nutrição e Saúde | Celulite X Alimentação: Existe Relação? - por Jailson Cavalcante

                      Mulher apertando sua perna com celulite

A celulite, também conhecida como lipodistrofia ginóide, atinge 9 em cada 10 mulheres e é caracterizada pela presença de ondulações e furinhos na superfície da pele. As áreas mais atingidas são as coxas, quadris, glúteos e abdômen. É causada por uma conjunção de fatores, sendo os mais relevantes a predisposição genética, as questões hormonais, o excesso de peso, o sedentarismo e a alimentação inadequada. No que tange o fator da alimentação, seguem algumas dicas fáceis para evitar ou mesmo diminuir tal problema tão comum:

  • Beba água: o primeiro – e mais importante passo – é hidratar o organismo. Para isso, precisamos beber no mínimo 2 litros de água por dia. Assim, melhoramos a circulação e garantimos que o processo de eliminação das toxinas ocorra com eficiência.

  • Coma alimentos ricos em fibra: Pois, além de desintoxicar o organismo, o intestino é essencial na absorção dos nutrientes. Para mantê-lo saudável, além de muita água, inclua fibras na sua dieta.

  • Alimentos Detox: para auxiliar no processo de eliminação das toxinas, aposte em alimentos como o gengibre, o limão, a maçã e o chá verde.

  • Combate à inflamação: a inflamação sistêmica está diretamente relacionada à presença da celulite. Alimentos funcionais como o açafrão e o alho auxiliam nesse processo e, além de te ajudarem com os furinhos, contribuem na melhora da saúde como um todo.

  • Plano alimentar individualizado: Seja para combater a celulite, perder peso ou simplesmente melhorar a saúde, toda e qualquer dieta deve ser 100% personalizada. Dietas “de gaveta”, que não levam em conta o histórico, as características individuais e hábitos de vida dos pacientes, estão totalmente fadadas ao fracasso. Somente um bom nutricionista, após uma anamnese detalhada, exame físico – e em alguns casos, após exames laboratoriais complementares – poderá definir qual o melhor caminho a seguir em sua alimentação.

  • Corra das dietas da moda, dos planos alimentares muito restritivos e engessados e, sobretudo, não acredite em tudo que você lê online. O conteúdo informativo nunca deve substituir a consulta a um profissional especializado.

  • Interdisciplinaridade de atitudes saudáveis: Se você seguir um plano alimentar individualizado e tomar nota de todas as dicas anteriores, já sentirá uma melhora em todos os aspectos de sua saúde, inclusive na questão das celulites, pois a alimentação adequada é capaz de melhorar muito o aspecto dos furinhos, mas esse resultado pode ser potencializado por ações simples, como:

Fazer atividade física: praticar um esporte ou ir à academia pelo menos 3 vezes por semana elimina gordurinhas e estimula a circulação, ajudando muito no combate à celulite.

Cortar hábitos como o cigarro e o álcool: o consumo frequente de tabaco e bebidas alcoólicas prejudica a saúde como um todo, e o aspecto da pele não é exceção.

Fazer drenagem linfática manual: para quem retém muito líquido, a drenagem linfática pode ser um santo remédio para a celulite.

Todas essas atitudes acima envolvem diversos profissionais da saúde qualificados que poderão o ajudar a não apenas melhorar os aspectos da sua pele e eliminar a celulite, mas também o ajudarão a ter melhor qualidade de vida, e nos dias que vivemos, percebe-se que isso é o que de fato importa. Valorize todos os profissionais da saúde.



Jailson Calvancante é nutricionista

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos. A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados. Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocup