Pular para o conteúdo principal

Poetas da Academia de Cordel de Caruaru participam de antologia evangélica


Nelson Lima, Roberto Celestino e Jénerson Alves. Esses são os três integrantes da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC) que fazem parte da antologia ‘Poesia Evangélica em Literatura de Cordel’. A obra, disponibilizada gratuitamente em formato digital, reúne poemas de autores de todo o Brasil, que utilizam a arte popular para traduzir os ensinamentos cristãos.



Publicado pela Editora Veredas Missionárias, do estado do Rio de Janeiro, a organização do livro foi feita pelo editor Sammis Reachers, que atua há mais de dez anos como antologista. Na apresentação do livro, o editor destaca que a repercussão da fé nas artes populares é um fenômeno comum em um país notadamente cristão, como o Brasil. “Esta seleta vem antologiar os versos de um panteão de autores cuja criatividade é insuflada pela sua fé – fé naquele nazareno cabra arretado
que, com sua vida e seu sacrifício, proporcionou salvação gratuita para qualquer pessoa que nEle crer”, registra.

A obra contém três poemas de Nelson Lima – intitulados ‘Zé, acendendo a fogueira do seu coração’; ‘A Bíblia e suas versões’; e ‘Saulo: Apologia pro vita sua’. Já Roberto Celestino contribui com o prefácio do livro, além dos poemas ‘A mulher samaritana’ e ‘A história de Nicodemus’, baseados em narrativas bíblicas, e com um mote: ‘Se Jesus não pode entrar, fico fora eu também’. Há, ainda dois poemas do cordelista Jénerson Alves, que também é jornalista: ‘A Reforma Protestante em Literatura de Cordel’ e ‘A História da Igreja Batista no Brasil em Versos de Cordel’.

Além dos membros da ACLC, a obra conta com a participação de nomes como Ivaldo Batista, El Gorrión, Silvano Lyra e Abdias Campos. O arquivo pode ser baixado gratuitamente no seguinte endereço: https://drive.google.com/file/d/1rxiCs69B69bsMWe-t_UsKYhRzL6UNvW7/view

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio