Pular para o conteúdo principal

Nutrição e Saúde | Espantando a TPM de forma fácil – por Jailson Cavalcante

Você sabe qual a sigla que mais assombra as mulheres? TPM. Isso mesmo. A TPM é, na maioria das vezes, sinônimo de inchaço, mau humor, fome descontrolada, vontade de comer chocolate, dor nos seios, cólicas, dentre outras coisas. Por isso, se você é mulher e quer espantar de vez os sintomas indesejáveis da tensão pré-menstrual, a nutrição pode lhe ajudar bastante. Confira algumas dicas abaixo:


Chateado, Esmagada, Estresse, Cansado, Frustrado

- Beba bastante líquido

A água desintoxica o organismo e ajuda a desinchar. Tomar muitos chás (menos mate e preto), sucos naturais, água de côco, sopas (sem creme de leite para não pesar na balança) ajudam.



- Alimentação rica em fibras

As fibras estão nos alimentos integrais (pão, macarrão, cereais), frutas, vegetais. Elas também ajudam o organismo a desintoxicar e a manter a glicemia (açúcar no sangue) estável, dessa maneira não sentimos vontade de beliscar o dia todo.



- Consuma alimentos com vitamina B

Os cereais integrais (juntamente com os vegetais verdes escuros e as carnes) são alimentos ricos em vitaminas do complexo B. Essas vitaminas diminuem as dores de cabeça e a vontade de atacar os doces. A Vitamina B6 controla os efeitos da aldosterona, hormônio produzido pela suprarrenal na fase pré-menstrual que reduz a excreção de sódio e causa o inchaço.



- Ômega-3 para o bom humor

Os peixes de água fria (salmão, arenque, atum) e óleo de linhaça são ricos em ômega-3, uma gordura que tem propriedades anti-inflamatórias e contribuem para a diminuição do aparecimento de espinhas e de celulite. O ômega-3 também auxilia na manutenção do bom humor!



- Inclua oleaginosas no cardápio

Nozes, castanhas, amêndoa, pistaches são alimentos ricos em gordura poli-insaturada que combatem também a inflamação. Mas não exagere, pois eles são calóricos.



- Magnésio para controlar a saciedade

Alimentos ricos em magnésio, como abacaxi, vagens, castanhas, nozes, cenouras, folhosos verde-escuros e carboidratos complexos e integrais, controlam a voracidade por doce, o aumento do apetite e a dor de cabeça.



- Bem-estar no prato

Alimentos ricos em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, responsável pela sensação de bem estar, são muito bem vindos. E são eles: leite e derivados (prefira os desnatados e magros), produtos à base de soja, frutos do mar, feijão, lentilha, arroz e grãos integrais, oleaginosas, ovos e sementes de girassol e gergelim.



- Faça seu intestino funcionar

Alimentos probióticos também são uma boa pedida, já que um de seus benefícios é enriquecer a flora intestinal, fazendo com que o intestino funcione direito, regularmente e elimine toxinas (subprodutos do metabolismo).



- Zinco é essencial

Para diminuir a irritabilidade, a ansiedade e a insônia, sintomas característicos dessa fase do ciclo, abuse de alimentos ricos em zinco: carnes magras, peixes (incluindo ostras e crustáceos), leite, cereais integrais, feijões e nozes.


Alimentos que devem ser evitados na TPM

Já os alimentos que devem ser evitados na TPM incluem os embutidos e outros alimentos ricos em sal e gordura, como caldos de carne e enlatados, assim como alimentos gordurosos, especialmente as frituras. Além disso é também importante não consumir bebidas com cafeína, como guaraná ou álcool.


Todos estes alimentos pioram os sintomas da TPM aumentando a retenção de líquidos e o desconforto abdominal.


Os alimentos ricos em açúcar também não estão indicados durante a TPM mas como é relativamente comum que a mulher sinta uma necessidade aumentada de consumir doces, está permitida a ingestão de 1 quadrado de chocolate meio amargo (70% cacau) após as refeições principais.


Caso você aparentemente siga essas dicas e mesmo assim não melhore os aspectos da TPM ou mesmo se você leu todas elas mas não sabe como encaixá-las a sua rotina, é importante destacar a importância do acompanhamento nutricional com um profissional qualificado da área. Até porque cada indivíduo é especial e único, precisando de um acompanhamento individualizado em cada aspecto de sua vida.


Jailson Cavalcante é nutricionista


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio