Pular para o conteúdo principal

As licitações não atrasam – por Oscar Mariano

Como todos sabemos, já estamos a mais de 100 dias sem termos aulas presenciais nas escolas e faculdades em todo país, algumas instituições estão realizando as aulas on-line. Isso devido ao avanço e todas as consequências que a COVID-19 trouxe para todos nós. Porém a medida se fez necessária, caso contrário, poderíamos ter problemas ainda maiores com as crianças e familiares, principalmente com os idosos.

Temos consciência de que ninguém estava preparado para enfrentar essa pandemia, onde fomos nos adaptando a ela, com o uso de máscaras, álcool em gel 70%, lavar as mãos, e o principal, sair de casa só quando necessário. Mas além dos desafios impostos pela COVID, tivemos outros problemas, e esses envolvendo práticas ruins por parte dos políticos. Tivemos inúmeros exemplos como os casos da prefeitura de Recife, que comprou respiradores para porcos, a prefeitura do Rio de Janeiro que prometeu vários hospitais de campanha, e mal conseguiu entregar um, são tantos exemplos que nos deixa com uma inquietação enorme. Nesse ponto da pandemia, o Governo Federal disponibilizou recursos para todos os estados e municípios do país, onde a realidade poderia ser bem mais trágica.

Para Caruaru, foram destinados mais de R$ 30.000.000,00 (TRINTA MILHÕES DE REAIS) para o combate ao coronavírus onde deste valor, foram construídas dez UTI’S, vários equipamentos como termômetros digitais, remédios, EPI (Equipamento de Proteção Individual), entre outros. Mas existem alguns pontos que precisamos avaliar e nos questionar, principalmente em relação a educação. Pois temos acompanhado o grande problema que envolve a merenda escolar, onde a primeira entrega aconteceu com quase 40 dias de atraso e a segunda quase cem dias de atraso, e mesmo assim, ocorreram vários outros problemas.

Esse problema com a merenda, nos leva a vários questionamentos, pois se observamos o Diário Oficial da Prefeitura de Caruaru, podemos observar vários contratos voltados para merenda escolar. Por exemplo, duas empresas que ganharam as licitações na semana passada, devem entregar gêneros alimentícios de origem animal (carne), mais especificamente na quarta (15/07) e na quinta (16/07), onde o valor das duas licitações é de R$ 121.779,70 (CENTO E VINTE UM MIL, SETECENTOS E SENTENTA E NOVE REAIS E SETENTA CENTAVOS). Ora, as escolas estão fechadas, estão sem aula, qual a necessidade de se comprar carne agora? E se tem carne, por que não entregam? Visto que, não temos uma data definida para o retorno das aulas, vão deixar esse dinheiro empenhado, podendo ser utilizado em outras demandas? O mais coerente é suspender os contratos, e aplicar o valor em outra demanda, por exemplo com alimentos dignos para o kit merenda.

Outro ponto, é que no Diário Oficial do dia 21/07/2020, a Prefeitura de Caruaru, aumentou em dois contratos de duas empresas, que são responsáveis pelo transporte de crianças e professores das escolas municipais, um percentual aproximadamente 50%, onde o valor total é de R$ 813.219,38 (OITOCENTOS E TREZE MIL DUZENTOS E DEZENOVE REAIS E TRINTA E OITO CENTAVOS). Ora, não estamos tendo transporte de crianças, pois as escolas estão sem aula, e o que é pior, o primeiro contrato ainda não terminou. E outro ponto, é que o contrato de uma das empresas, ainda está dentro do prazo, e que tem outros serviços que passam do valor de R$ 1.700.000,00 (HUM MILHÃO E SETECENTOS MIL REAIS), é mais um absurdo que envolve a educação municipal de Caruaru. Fica uma pergunta: qual o motivo do aumento do contrato, se não estão transportando os alunos e professores? 

Vamos esperar, e vermos se os vereadores de oposição, irão tomar as medidas cabíveis e solicitar explicações para esses contratos e aumentos, que nos deixam com vários questionamentos, pois esperamos que exista uma explicação plausível para tais ações.



Oscar Mariano

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…