Pular para o conteúdo principal

Altos Papos | O "eu" prende, o "nós" liberta! - por Davi Geffson


Individualista. Seria este o melhor termo para nomear a geração que temos vivido? Aliás, sou um ser individualista? A gente se questiona com tantas coisas e, por vezes, não analisamos quem prevalece em nós. Certa vez, compadeci-me de um mendigo e ao contar para um amigo o que senti ouvi a seguinte resposta: - “Problema dele, eu estando de bucho cheio é o que importa.”

Foi quando dei conta do tanto que um “EU” influencia na vida de tantas pessoas. O egocentrismo tem tomado conta de muitos e, até sem perceber, se perdem dentro do seu eu. Eu não sou sozinho, é isso que precisamos entender! Se me visto é porque alguém corta, outro costura, alguém vende e chega até mim, se me alimento é porque alguém planta, Deus dá o crescimento, alguém colhe, outro produz e chega até mim, enfim, se eu compro é porque alguém me dá um emprego, ou alguém compra o produto ou serviço que eu vendo, mas perceba, nada eu faço sozinho.
Mãos, Cerca, Liberdade, Fronteira, Fio, Ajuda
O eu não é o todo, é parte deste todo. Eu + outros, sim, somos o todo. Enquanto o eu prende, o nós liberta! Falo de empatia. Colocar-se no lugar do outro é saber que somos parte desse outro. E se ele estiver bem, logo, também estarei. Quando o “eu” começar a ser trocado pelo o “nós”, entenderemos o quanto somos felizes ao colaborar para que o outro também esteja bem.


Preciso compreender:
Nada, pois, faço sozinho,
Até mesmo pra voar
Livre feito passarinho,
É preciso que alguém,
Prepare todo o caminho.


Pense nisso!


Davi Geffson é mercadólogo, professor e presidente da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio