Pular para o conteúdo principal

Nutrição e Saúde | Dia Internacional do Leite – por Jailson Cavalcante

O Dia Internacional do Leite é comemorado em 24 de junho. A data foi criada em 2001 pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação (FAO) com o objetivo de alertar a população sobre a importância dos lácteos para a manutenção de uma alimentação equilibrada.

Lata De Leite, Vidro, Leite, Copo De Leite, Gerbera

Considerado o mais nobre dos alimentos, o leite tem grande importância na alimentação humana. Rico em proteínas, carboidratos, gorduras, sais minerais e vitaminas, o leite ocupa lugar de destaque quando o assunto é a nutrição do homem. Principalmente devido à presença do cálcio, mineral responsável pela formação dos ossos.

Exerce um papel fundamental para a formação e o desenvolvimento ósseo ao longo da vida. Nele encontramos proteínas, principalmente a caseína, que apresenta alta qualidade nutricional e é muito importante na fabricação dos queijos, e a albumina, de alto valor biológico (aminoácidos essenciais). Ambos auxiliam na formação e na manutenção dos tecidos do organismo. 

Em três períodos da vida o papel do leite é fundamental: na infância, participa da formação e do desenvolvimento do organismo como fonte de proteína, sais minerais e gordura; na adolescência oferece condições para o crescimento rápido com boa constituição muscular óssea, e endócrina; e para pessoas idosas é fonte de cálcio, essencial na manutenção da integridade dos ossos. 

O leite é um alimento complexo, que apresenta um balanço nutricional apreciável: contém proteínas, carboidratos, vitaminas e minerais. O teor de água deste alimento é de aproximadamente 90%, e a diluição de nutrientes no meio líquido faz com que o conjunto nutricional do leite seja melhor do que as propriedades de cada nutriente, se consideradas isoladamente. 

Hoje o leite não só faz parte da alimentação do dia-a-dia como também é matéria-prima de vários outros produtos e ingredientes de preparações da culinária. A presença do leite e seus derivados na dieta alimentar ocorre, principalmente, pelo fato de que estes produtos são fontes de proteínas e de minerais essenciais à promoção do crescimento e manutenção da vida para o homem. 

Há, contudo, atualmente grandes discussões sobre o seu consumo, assim como também existem pessoas que são intolerantes à lactose ou que apresentam reações alérgicas ao seu consumo, o que normalmente ocorre por causa da baixa produção de uma enzima chamada lactase ou a falta absoluta dela no organismo. Mas isso já é assunto para outra matéria. Se você se enquadra nestes casos mencionados acima, para maiores informações e adequação alimentar correta procure um profissional nutricionista que possa o acompanhar de maneira individualizada.

Jailson Cavalcante é nutricionista

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio