Pular para o conteúdo principal

Semana da Liberdade Religiosa alerta para o direito à crença em tempos de pandemia

Até o próximo dia 29 de maio, a  Semana Estadual da Liberdade Religiosa 2020 intitulada Liberdade Religiosa na Pandemia, promovida pela Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), discute questões importantes na área, ainda mais em um contexto de pandemia, com participação de convidados internacionais. O evento está sendo transmitido, ao vivo, em sistema de TV aberta (TV Alesp). Vários líderes adventistas participaram com o objetivo de promover o direito à crença. A O evento é presidido pela deputada estadual Damaris Moura (PSDB).
Leia também:
Autoridades nacionais e internacionais e líderes de diversos segmentos religiosos, como cristianismo, islamismo, judaísmo, hinduísmo e religiões de matriz africana também marcaram presença.  O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), participou da abertura do evento e parabenizou a iniciativa da deputada Damaris Moura.
“São Paulo é um Estado que agrega o espírito da diversidade. Neste momento de enfrentamento da pandemia, os líderes religiosos também devem se manifestar, não para estimular o conflito, mas para compreender que precisamos de paz e entendimento”, conclamou ele. A abertura, contou, também, com a participação do deputado estadual Cauê Macris (PSDB), presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo e do secretário de Justiça e Cidadania de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti.
Deputada Damaris Moura foi a organizadora do movimento internacional para discutir o tema. (Foto: Reprodução TV ALESP)
Deputada Damaris Moura foi a organizadora do movimento internacional para discutir o tema. (Foto: Reprodução TV ALESP)
Diversos líderes religiosos se manifestaram no evento. Entre eles, o cardeal dom Odilo Scherer, arcebispo metropolitano de São Paulo; o pastor Maurício Lima, líder da Igreja Adventista no Estado de São Paulo; a ialorixá Mãe Carmen de Oxun, fundadora de diversos terreiros, como o Ilê Olá Omi Asé Opô Aràkà, em São Bernardo do Campo; o rabino judeu Gilberto Ventura, fundador do movimento Sinagoga sem Fronteiras, em 25 comunidades brasileiras; o xeique Mohamad Al Bukai, teólogo islâmico e líder da Mesquita Brasil, na capital paulista; e o reverendo Mahesh, do Movimento Hare Krishna, procedente da tradição hinduísta.
Presidente da Igreja Adventista no Estado de São Paulo, pastor Maurício Lima discursou aos participantes (Foto: Reprodução)
Para o pastor Helio Carnassale, diretor do departamento de Liberdade Religiosa da Igreja Adventista na América do Sul e secretário-executivo da International Religious Liberty Association (Irla), “é um privilégio viver em um país livre, com direito à crença garantido pela Constituição, mas precisamos nos certificar junto às autoridades que esses direitos serão mantidos a nossos filhos”.
“A intolerância é o analfabetismo da fé, mas a liberdade religiosa é a graduação do direito, a formatura do respeito, a grandeza humana na prática”, afirmou o teólogo Odailson Fonseca, representante da Irla no Estado de São Paulo.

Histórico de pandemias e liberdade religiosa

A palestra do secretário-geral da Irla, Ganoune Diop, foi um dos pontos altos da noite. Ele relembrou como a liberdade religiosa foi atingida em outros momentos de epidemias devastadoras na história, como a praga de Justiniano, entre 541 e 544 d.C., e a peste bubônica, no século 14. “Este é o momento para entender a liberdade religiosa como um símbolo sagrado do relacionamento que deve ser estabelecido entre cada ser humano, um zelo da dignidade humana. Devemos encorajar os governos para que isso esteja inserido nos direitos fundamentais inscritos na consciência nacional. Todo cidadão do mundo deve desfrutar desta liberdade”, convocou ele.
Fonseca ressaltou o direito à liberdade religiosa (Foto: Reprodução)
Também palestraram no evento Karol Reynolds; Guillermo Estrugo; Gary B. Doxey e Brian J. Grim, fundador e presidente da Religious Freedom & Business Foundation, com sede em Maryland (EUA).
Vários participantes chamaram a atenção para a necessidade de um fortalecimento dos ideais da liberdade religiosa, como um antídoto, inclusive, a crimes contra a hunanidade. “Temos uma geração que não sabe o que aconteceu no Holocausto, uma das maiores violações da liberdade religiosa na história da humanidade. Mas seus efeitos ainda estão vivos, com chacinas em todo o mundo, motivadas pelo ódio e pela intolerância religiosa”, correlacionou Karol Reynolds, iretora do Museu do Holocausto – WFCS, da Carolina do Norte (EUA) .
Já Gary B. Doxey, diretor associado do Centro Internacional de Direito e Estudo das Religiões, da Universidade Brigham Young, em Utah (EUA), comentou que “a liberdade religiosa protege e fortalece os demais direitos civis e políticos, protege a consciência, a dimensão espiritual da sociedade, gera benefícios sociais, impulsiona laços morais e promove a paz e a coexistência respeitosa”.
“A liberdade religiosa diz respeito também ao direito de não pertencer a nenhuma religião e ao dever de essas pessoas de respeitarem a quem tem fé“, lembrou Guillermo Estrugo, diretor internacional de Comunicação da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias para o Noroeste da América do Sul, na Colômbia.
A deputada Damaris Moura conduziu toda a sessão solene e, ao fim dela, salientou que manter a separação de poderes, entre Estado e Igreja, é um princípio constitucional. “Em contrapartida, é dever do Estado proteger a religião, para que ambos possam contribuir para a construção de uma sociedade justa. Se este direito não for para todos, não será para mais ninguém”, destaca a parlamentar.

Programação

A Semana Estadual da Liberdade Religiosa continua até 29 de maio. Nesta quinta-feira, dia 28, acontece o I Simpósio On-line da Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa, com entidades temáticas da diversidade de religiões. O evento reúne especialistas lideranças de diversas instituições, como a Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (Ablirc); o Fórum Inter-religioso por uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença, da Secretaria da Justiça e Cidadania; a J. Reuben Clark Law Society (JRCLS), organização voluntária internacional de direto, com sede em Utah (EUA); a União dos Profissionais Evangélicos do Direito (Uproed); a União Nacional dos Juristas Islâmicos (Anaji); a Associação dos Juristas Espíritas (AJE); o Instituto de Defesa dos Direitos das Religiões Afro-Brasileiras (Idafro); o Instituto Brasileiro de Direito e Religião (IBDR); a Religious Freedom & Business Foundation, entre outras.
Já na sexta, 29, haverá o Colóquio entre a Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa (FPDLR) e o Fórum Inter-religioso por uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença. O encontro será ancorado pela deputada Damaris Moura e pelo secretário de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, Paulo Dimas Mascaretti, com mediação de Odailson Fonseca, representante da International Religious Liberty Association (Irla) em São Paulo. A pauta trata da atuação em defesa e promoção da liberdade religiosa no âmbito dos poderes Legislativo e Executivo.
O desenvolvimento de todos os eventos é de responsabilidade da FPDLR, criada e coordenada pela deputada Damaris Moura na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Serviço

Semana Estadual On-line de Liberdade Religiosa 2020
Tema: Liberdade Religiosa em tempos de pandemia
Data: de 26 a 29 de maio
Onde: transmissão virtual, pelo canal de TV Rede Alesp, nos canais de YouTube da Alesp (youtube.com/user/assembleiaspconteudo) e da deputada Dra. Damaris Moura (youtube.com/c/DraDamarisMoura) e pela plataforma Zoom da Alesp

Agenda

Quinta, 28/5
Das 16h30 às 18h30 – I Simpósio On-line da Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa
Sexta, 29/5
Das 14h às 15h30 – I Colóquio entre a Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa e o Fórum Inter-religioso por uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença
Realização e colaboradores: Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp), Frente Parlamentar em Defesa da Liberdade Religiosa (FPDLR), Associação Brasileira de Liberdade Religiosa e Cidadania (Ablirc) e International Religious Liberty Association (Irla)
Mais informações e links para os canais virtuais: liberdadereligiosa.com.br

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…