Pular para o conteúdo principal

Atividade religiosa é incluída como essencial na quarentena em cidades de PE

Nesta quinta-feira (14), o Governo de Pernambuco decidiu que líderes religiosos e suas equipes técnicas de filmagem podem ir aos templos ou estúdios gravar ou transmitir celebrações via internet ou outros meios de comunicação durante a quarentena que ocorrerá de 16 a 31 de maio no Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata. A inserção das atividades religiosas como atividades essenciais foi destacada positivamente na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), demonstrando reconhecimento do Governo acerca da relevância dos serviços espirituais e sociais dos templos religiosos.

Essa questão não estava contemplada no anúncio realizado pelo governador na segunda-feira (11), o que provocou discussão em diversas esferas da sociedade, principalmente no ambiente religioso. A Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure) chegou a se posicionar publicamente, declarando que, ao determinar isolamento rígido, o poder público não pode proibir o deslocamento para a assistência religiosa e de capelania, sendo observados os devidos cuidados sanitários.


Por causa do coronavírus, Paulo Câmara reforça Oswaldo Cruz com ...

Novas categorias
Ainda na quinta-feira 14, o Governo autorizou a circulação de profissionais que cuidam de crianças nas casas de trabalhadores da saúde e da segurança. O Governo de Pernambuco também incluiu novas categorias entre as que não se submeterão ao rodízio de veículos. São eles: trabalhadores de supermercados, padarias, farmácias, postos de gasolina, trabalhadores em vigilância e zeladoria; funcionários de empresas de serviços públicos de transporte coletivo e metroviários. Eles precisam portar uma declaração do empregador.


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio