Pular para o conteúdo principal

Lessa propõe suporte a artistas locais através de São João on-line, sem custos para o município

Com o anúncio que a Prefeitura de Caruaru cancelará o São João deste ano, o deputado estadual Delegado Erick Lessa lançou um apelo pela adaptação da festa. Através de um ofício, Lessa propôs a realização de um São João Solidário, pela via on-line, mas de incentivo à economia e cultura local. No documento, protocolado na manhã desta quinta-feira (07), o deputado ressalta que a festa deve valorizar os artistas regionais e não gerar custos para o Município.




No texto, o deputado defende que a festa de São João de Caruaru possui valor cultural e de tradições, que vão além das grandes estruturas de palcos. “Trazemos esse apelo com nossa disponibilidade para ajudar os caruaruenses, bem como sugestão e direção para realização do São João de Caruaru, em um novo formato, mais cultural, mais tradicional, valorizando mais os artistas da terra que estão com significativas dificuldades, por falta de alternativas, para garantir o sustento de suas famílias, nesse momento de pandemia”, frisa o parlamentar.

O deputado apela que os artistas locais tenham maior destaque na programação, não sendo relegados para segundo plano. Ele também argumenta que os custos para a realização do evento não devem sair dos cofres públicos, mas através de patrocínios oriundos da iniciativa privada, em sintonia com as recomendações do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE).

Na condição de presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Erick Lessa também expressa uma maior atenção aos pequenos empreendedores do município. "Busque sim patrocinadores maiores, mas permita que seja um momento de visibilidade a pequenas e grandes empresas de Caruaru mostrarem seus produtos nessa época através dessas plataformas on-line", sugere o parlamentar à atual gestão do município de Caruaru.

Ao invés do cancelamento, o deputado aposta na criatividade como caminho para superar a crise. "Estamos em um momento de releitura e adaptação à nova realidade, a um novo normal, e é dever da Prefeitura de Caruaru incentivar a preservação dessa identidade cultural e lutar pela sobrevivência da economia e sustento de todos os caruaruenses", registra no ofício.

Foto: Viliane Gomes

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid