Pular para o conteúdo principal

Papa incentiva artistas a contar o mundo com criatividade em tempos de pandemia


A intenção de oração desta segunda-feira (27) do Papa Francisco, na missa diária na Casa Santa Marta, foi dedicada aos artistas e ao caminho da beleza e da criatividade que podem ajudar neste momento difícil caracterizado pela pandemia do Covid-19:

“Rezemos hoje pelos artistas, que têm esta capacidade de criatividade muito grande e pelo caminho da beleza nos indicam o caminho a seguir. Que o Senhor nos dê a todos a graça da criatividade neste momento.”


Papa ao receber artistas mexicanos durante Audiência Geral em dezembro de 2019



O ator italiano de teatro e cinema, Giovanni Scifoni, ficou bastante impressionado pelo pensamento do Papa e disse que a categoria sabe realmente externar a criatividade nos momentos de crise, indicando o caminho a ser seguido. Giovanni refletiu sobre “a busca do sentido” e de como os artistas podem conduzir a “essa beleza e sentido de palpitação do coração”, porque o artista consegue dar sentido às coisas:

“O artista – e poderia estar em todo o homem o ‘ser artista’ – sabe colocar pra fora a criatividade também nos momentos de crise, ou melhor, sobretudo nos momentos de crise. Eu procurei, de qualquer forma, contar através das redes sociais esse período tão dramático. Para mim, foi uma fonte de grande motivação. Uma coisa importante poderia ser utilizar o tempo que se tem à disposição para criar alguma coisa bonita. Qual criatividade podemos externar? Hoje, agora, o que podemos fazer deste mundo, assim como está, com a pandemia? Neste período, vi tantos artistas que conseguiram contar este mundo, essa situação, de maneira criativa. Se essa criatividade própria dos artistas fosse contaminada também no mundo da política, no mundo de quem deve dar soluções, não seria mau: servem soluções muito criativas.”

Giovanni, de família católica, foi autor e condutor de um programa do canal católico italiano TV2000, intitulado, “Beati voi”. O ator, que canaliza a atenção sobretudo da juventude, sendo muito ativo nas redes sociais, foi escolhido pelo Papa para apresentar uma das noites de abertura do Sínodo dos Jovens, no Vaticano, em 7 de outubro de 2018. Na oportunidade, o ator conseguiu divertir o Pontífice. Fazer sorrir também é importante:

“A gente dá risada por identificação, porque nos sentimos semelhantes. Então, a semelhança faz fraternidade que gera afeto e risada. O cômico também tem uma função moral: aquela de corrigir os costumes, rindo.”

Os problemas do mundo artístico
O ator também abordou as dificuldades vividas pelo mundo artístico neste período de pandemia porque, na maior parte dos casos, os artistas precisam de público. Então, os artistas também estão vivendo “um momento de depressão”, porque falta a possibilidade de inserir o próprio trabalho em projetos futuros.


Fonte: Vatican News

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…