Pular para o conteúdo principal

Nutrição e Saúde | A importância da Vitamina D em tempos de coronavírus – por Jailson Cavalcante


As vitaminas e nutrientes são essenciais para manter a saúde em dia. São elas as principais responsáveis por deixar o sistema imunológico mais forte e ajudar a evitar doenças graves. Entre as mais conhecidas do grupo há que se falar na vitamina D, que tem participação decisiva no bom funcionamento do coração, ossos e intestino, por exemplo, e para que os níveis da vitamina fiquem em dia, é importante reservar alguns minutos para tomar sol.
A vitamina D - que na verdade é um hormônio - é muito importante para o organismo. É responsável por fazer a absorção de cálcio pelos ossos e para fortalecer a formação óssea. Ela é importante para a prevenção de várias doenças, como gripe e resfriados, doenças autoimunes, como diabetes tipo 1, esclerose múltipla, asma, além de obesidade e problemas cardíacos. A vitamina D faz com que o cálcio - elemento usado por quase todas as células como um sinalizador celular - seja absorvido pelo intestino e a vitamina D faz o organismo absorver esse cálcio intestinal, o que mantém os nutrientes no corpo. Por isso é tão importante controlar o nível do hormônio.


Com a falta de vitamina D ou seus níveis baixos, o paciente pode estar mais vulnerável às gripes e resfriados, aparecimento de doenças autoimunes e diminuição da massa óssea, o que ao longo do tempo pode deixar os ossos mais frágeis e propícios às fraturas causadas pela perda de cálcio (osteoporose). Se a pessoa tem falta de vitamina D em uma idade mais precoce, corre o risco de desenvolver raquitismo, uma doença que enfraquece os ossos.
Em idosos, especialmente, qualquer fratura óssea tem uma recuperação mais demorada, além de levar à internação com mais risco de outras doenças transmissíveis no meio hospitalar e longos períodos sem se movimentar, que acarreta vários outros problemas.
Com o passar das décadas, percebeu-se que a vitamina D tem outras funções. Alguns estudos sugerem que, em níveis mais normais, ela diminui o risco de queda em idosos e também ajuda a evitar alguns tipos de câncer.
A boa notícia é que alguns alimentos são capazes de ajudar a repor a vitamina D no corpo. Uma dieta rica em alimentos como sardinha, fígado bovino, ovos, iogurte e manteiga, é uma boa forma de repor os níveis desse hormônio tão importante. Porém, vale lembrar que é por meio da exposição solar que obtemos 80 a 90% da vitamina absorvida. Portanto, nenhum alimento substitui completamente a rotina de banho de sol.
Contudo, estudos afirmam que mais 90% dos brasileiros têm deficiência de vitamina D, mesmo vivendo em um país com clima quente. Isso acontece por causa do estilo de vida corrido, principalmente de quem vive em grandes cidades. Por isso, é muito importante tomar sol, pois 15 minutos de exposição solar nos braços e pernas diariamente já é suficiente para absorção da quantidade necessária de vitamina D como forma de prevenção das diversas doenças mencionadas.
Desta forma, é essencial procurar o seu nutricionista, para uma avaliação e acompanhamento, para que, só depois, ele indique os melhores hábitos e suplementos afim de manter seus níveis da vitamina regulares. Pois embora seja certo a recomendação da exposição solar diária, não se trata de uma forma eficaz para todas as pessoas de maneira indiscriminada. Por exemplo, pessoas com peles mais escuras e mais melatonina têm mais dificuldades de absorver a vitamina D durante a exposição solar, por isso precisam tomar mais sol no corpo para controlar o hormônio, além de ser suplementado de maneira individualizada em sua alimentação diária. De acordo com a particularidade de cada indivíduo.
Em tempos de quarentena e isolamento, a principal recomendação profissional é tomar um pouco de sol em pequenos espaços solares, como a varanda, o quintal ou jardim e até mesmo a janela de casa. Sempre se lembrando das recomendações de horário, o que é muito importante, devido à exposição aos raios UV A, B e C os quais também podem ser nocivos. Portanto, os melhores horários sempre serão no turno da manhã até às 10h (dez horas) e após as 16h (dezesseis horas). Aproveite o tempo livre proporcionado pela quarentena para colocar sua saúde em dia, sentando-se em algum local com sol nos horários mencionados. Uma dica para quem está em home office, por exemplo, é: passe um período trabalhando sob o sol.
Importante salientar ainda a seriedade do momento que vivemos atualmente em nível global. A exposição solar é de suma importância para a absorção da Vitamina D, mas não se utilize dessa desculpa para sair do isolamento social. Não aglomere pessoas, não vá a espaços com fluxos constantes de pessoas como parques ou espaços de corrida e exercícios físicos públicos, orlas etc. Fique em casa. Caso você não disponha em sua residência de um quintal ou varanda por exemplo, fique alguns minutos apenas na calçada. Mas sempre mantendo distanciamento social. Para que a saúde de todos seja preservada e em breve todos passem bem por esse desafio.



Jailson Cavalcante é nutricionista

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…