Pular para o conteúdo principal

Literatura de Cordel perde o poeta Paulo Pereira


Faleceu o poeta Paulo Pereira. Aos 74 anos de idade, ele era membro e um dos fundadores da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC). O sepultamento será às 16h desta terça-feira 17, no Cemitério São Roque. O velório está acontecendo na Rua Barros Coelho, 45, Bairro Monte do Bom Jesus.

Paulo recitando cordel. Foto: Joyce Lima/Arquivo ACLC



Nota de Pesar
A ACLC emitiu uma nota de pesar pela perda do poeta. Leia o texto na íntegra.

É com pesar que a Academia Caruaruense de Literatura de Cordel (ACLC) recebe a notícia do falecimento do poeta Paulo Pereira. Membro e um dos fundadores da Academia, a obra de Paulo inspirou e continua inspirando novas gerações.

A ACLC lamenta intensamente esta perda e neste momento de dor e saudade transmite os sentimentos aos familiares, amigos e colegas. 





Paulo Pereira nasceu no dia 20 de dezembro de 1945. Teve uma vida difícil, sendo abandonado pelo pai ainda criança. Viveu do ofício de sapateiro, mas destacou-se devido à qualidade do seu trabalho poético. Embora com pouca escolaridade, compôs mais de 500 poemas e canções, que costumava apresentar em escolas e feiras. Também era embolador de coco, tendo entre os seus trabalhos mais conhecidos a ‘Embolada dos Passarinhos’, que apresentava ao lado do cordelista Olegário Filho (veja o vídeo ao término da notícia).


Homenagens
Confira alguns dos registros de saudade realizados através de versos por poetas da Academia de Cordel ao poeta Paulo Pereira:


VAI NA PAZ MENESTREL!!!

Jesus resolveu levar
a alegria da feira
o mundo cordeliano
perdeu mais uma bandeira
os passarinhos voaram
e nos céus eternizaram
o nosso PAULO PEREIRA.
              
Raudênio Lima

========
VOA PASSARINHO

O poeta dos passarinhos
Bateu asas e voou,
O nosso Paulo Pareira
Desse mundo viajou,
Foi, assim, fazer cordel,
Ao lado do menestrel,
Jesus Cristo, quem o chamou.

Davi Geffson

=======
Poeta Paulo Pereira
Na rima, foi um Cancão
Declamando os seus versos
Um sabiá em ação
Poeta dos passarinhos
Agora fará seus ninhos
Lá na Celeste Mansão.

Carlinhos Cordel

=======
O vate Paulo Pereira
Foi bem mais que um poeta,
Um homem de boa índole,
Uma pessoa correta.
Que amava poesia;
E com muita maestria,
Dos versos foi um pintor,
De rima é sua aquarela,
Mas hoje olhando essa tela;
O preto me causa dor.

Jailton Pereira

========

Foi Paulo Pereira um grande poeta
Contou coisas belas no seu versejar
Falou das estrelas, da Lua, do mar
A dos passarinhos era predileta,
No rumo da vida seguiu linha reta
No ramo dos versos, espetacular
E hoje nos deixa pra ir declamar
Ao lado dos mestres e reis do repente
No palco supremo Paulo tá presente
Contando poesia pra Deus escutar.

Jefferson Moisés

========

Quando eu fiquei sabendo
Eu nem quis acreditar
Comecei logo a chorar
Fiquei todo me tremendo
Então eu fui escrevendo
Um rascunho no papel
Adeus, grande Menestrel,
Um poeta de primeira,
Adeus, Paulo Pereira,
O pendrive do cordel.

Pedro Poeta

========

Fui vê-lo fisicamente
Hoje, na vez derradeira
Vi um pouco dele em mim
Poeta, simples, da feira
Vá em paz grande poeta
Meu pendrive não deleta
O nosso Paulo Pereira.

Dorge Tabosa

========

Se entristecem os versos
Dos poetas e amigos
O céu sem dúvida, em festa
Alegra-se a estar contigo
Estás junto aos passarinhos
Voaste, deixaste o ninho
Agora vais recitar
E lá em cima, no céu
O pen drive do cordel
Ficará a nos olhar

Karla Maria

========

Nosso poeta maior
Partiu para outro mundo.
Deixando em todos nós.
Um sentimento profundo.
Mas o legado que fica
É primeiro sem segundo.

Cilene Santos

========

Um grande poeta partiu para sempre
Deixando conosco tristeza demais
Chorar não resolve trazê-lo de volta
E sua presença teremos jamais.
Chamamos de Paulo que é o seu nome
Pereira completa o seu sobrenome
Presença marcante em nossos anais.

Zé Severino

========

Paulo Pereira o poeta
Encantou com a poesia
Mostrou muita maestria
Em sua arte predileta
E cumprindo a sua meta
À mulher elogiou
Ao Criador exaltou
Falando dos Seus Caminhos
O vate dos passarinhos
Grande legado deixou.

Roberto Celestino

========

Fica esse aperto de mão
Meu e de Paulo Pereira
Guardado no coração
Pra lembrar a vida inteira.

Roberto Celestino.

========

Eu também tive o prazer
de abraçar o peça ruim
não sei como vou viver
sem ele junto de mim.

Raudênio Lima

========


Poeta Paulo Pereira,
De verve rústica, mas terna,
Uma enciclopédia eterna
Dos versos que vêm da feira.
Hoje subiu a ladeira
Que chega à mansão do arcanjo,
Nos deixou um último arranjo,
Uma estrofe, uma legenda...
O vate verteu-se em lenda,
O pássaro tornou-se anjo.


Jénerson Alves



Confira, no link abaixo, uma das apresentações de Paulo Pereira:



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid