Pular para o conteúdo principal

Demissão de professores revela descaso com a Educação - por Erick Lessa

Aproximadamente 100 professores contratados da rede municipal de Caruaru foram demitidos na manhã da última sexta-feira, 28. A denúncia foi do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Caruaru (Sismuc). De acordo com o que foi veiculado na imprensa, profissionais com quase 20 anos de atuação perderam o emprego. Até agora, o poder público municipal não emitiu qualquer esclarecimento sobre essas demissões em massa.

O fato é preocupante por vários motivos. O prejuízo que a falta desses professores pode provocar no processo de ensino-aprendizagem é o mais nítido. Estamos no início do ano letivo, e a presença constante dos educadores em sala de aula é essencial para o bom desempenho das práticas pedagógicas. Nosso município ainda tem muito avançar, inclusive no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), e a falta de professores representa um retrocesso no ensino.

Também causa preocupação a forma desordenada da ação. Segundo o Sismuc, não houve motivação para a exoneração dos profissionais, que certamente ficaram com os rendimentos comprometidos. Aqueles que dedicam suas vidas para ensinar as nossas crianças merecem valorização, não podem ser tratados com indiferença. Porém, as ações de quem está no poder seguem na contramão do que é apresentado nas propagandas vistas pelos quatro cantos da cidade.

O silêncio da gestão municipal, sem esclarecer as causas dessas demissões, é um sintoma de um governo desarticulado, com sérias dificuldades de dialogar com a população – e até com os profissionais que integram seus quadros. É impossível uma cidade se desenvolver adotando práticas do passado.



Erick Lessa é deputado estadual em Pernambuco

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio