Pular para o conteúdo principal

Artigo | Sobre o suicídio de pastores – por Roberto Celestino



Obedeçam-lhes, para que o trabalho deles seja uma alegria e não um peso, pois isso não seria proveitoso para vocês.                                                                                         (Hebreus 13:17)

Tem aumentado assustadoramente os casos de suicídio entre pastores. Diante disso os questionamentos são cada vez maiores.
Muitos se esforçam para compreender e explicar o que está causando esse mal.
Sinceramente eu não sei explicar o que está causando isso, mas quero refletir sobre três fatores que podem levar a uma das causas para esse desfecho terrível na vida do ser humano, sobretudo do servo de Deus.




1-    Comparação. 
Como não poderia ser diferente, a igreja acompanhou a explosão de informações trazidas pela internet. Temos muitos sermões a nossa disposição. Temos de Charles Spurgeon aos pregadores atuais. Pregadores sérios de púlpitos com mensagens poderosas a pregadores animadores de auditório com mensagens centradas no ser humano apenas para agradar a platéia. (Vou me referir apenas aos bons e sérios pregadores).
Muitos membros de igrejas começam a comparar esses sermões e ou pregadores com o seu pastor e seus sermões. Começam a cobrar, se tornam mais exigentes com essas comparações.
Ora, compreendo que o servo de Deus deve se esforçar sim na preparação de seus sermões para a vida saudável de sua igreja. Mas sem pressão. A comparação é algo terrível na vida de alguém.
Imagine o marido fazer sempre comparação da comida que a esposa prepara com a do restaurante, elogiando mais esta do que a dela. Por certo ela não ficará feliz.
Se o seu pastor não tem um bom sermão, ore a Deus para que o capacite mais, mas não faça comparações. O que você comenta às escondidas com um irmão chegará aos ouvidos dele com mais veneno ainda.
Sei que tem sermões que parecem ou não são tão bons, mas reflita no fato de que pode ser exatamente o que Deus quer que você escute.
Nem todo mundo pode tomar o bom café com açúcar. Há casos que o alimento precisa ser amargo ou sem tempero, depende da condição saudável ou não de cada um.
Outra coisa, sem tirar o mérito dos “grandes” pregadores, eles podem preparar com muita calma uns dois ou três sermões e rodar o Brasil e o mundo o ano inteiro pregando-os. O seu pastor precisa preparar no mínimo mais de cem sermões por ano.
Ore por ele.

2-    Solidão
Procure vir logo ao meu encontro, pois Demas, amando este mundo, abandonou-me e foi para Tessalônica. Crescente foi para a Galácia, e Tito, para a Dalmácia. Só Lucas está comigo Traga Marcos com você, porque ele me é útil para o ministério.                      (2 Timóteo 4:9-11)

O apóstolo Paulo expressou a solidão em seu ministério. A solidão é sem dúvida um mal que machuca muitos pastores.
O pastor deixa a sua cidade, a sua família, seu círculo de amigos e vai para um “terra estranha” com pessoas desconhecidas de cultura desconhecida.
Muitos deles vão apenas com a esposa, pois muitos filhos já estão casados e outros não têm filhos.
Os membros da igreja precisam entender que além de ovelhas, eles devem ser amigos do seu pastor.
            A igreja quer ser acompanhada, ouvida, tratada. Isso é justo. Mas deve lembrar também que o pastor é humano e precisa ser ouvido, dar risadas, compartilhar experiências.
Muitos pastores sentem-se muito sozinhos no seu campo missionário. Enquanto estão no templo estão rodeados de pessoas, depois daquele momento olham em volta e se veem sozinhos.
Outros enfrentam mais solidão ainda em casa, pois a esposa e filhos por estarem insatisfeitos por viverem em tal cidade, culpam-no e afastam-se ainda mais dele.
Muitas igrejas ignoram seu pastor em datas comemorativas como Natal e Ano Novo, por exemplo. Sabendo que ele não tem família na cidade, cometem a deselegância de não convidar a família pastoral a unir-se a uma das famílias da igreja. Por falar nisso, você convidou a família pastoral de sua igreja para a Ceia de Natal ou de Ano Novo?

3-    Sobrecarga.
Respondeu o sogro de Moisés: "O que você está fazendo não é bom. Você e o seu povo ficarão esgotados, pois esta tarefa lhe é pesada demais. Você não pode executá-la sozinho. (Êxodo 18:17,18).

Jetro, o sogro de Moisés percebeu o  esgotamento do genro por estar trabalhando sozinho e entendeu que ele não iria muito longe na sua missão. Então propôs que Moisés dividisse as tarefas.
Muitas igrejas atribuem todas as suas tarefas exclusivamente ao pastor.
Os diáconos parecem mais um conselho fiscalizador do ministério pastoral. Estão mais interessados em controlar a vida do pastor que ajudá-lo. Os demais membros na hora em que lhes é sugerida alguma atribuição, ouvimos mais a palavra  declino que um Amém.
Falamos que a igreja é um corpo, como de fato é, mas parece que não entendemos o que seja um corpo.
Em um corpo todos os membros trabalham. Fomos designados a trabalhar em cooperação com o nosso líder levantado por Deus.

No texto abaixo, nossos pastores estão incluídos no na palavra “outros”.
Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo.            (Gálatas 6:2)

Cobramos muito de nossos pastores, talvez seja a hora de cobrar mais de nós mesmos.

Orem por seus pastores, ouçam-no, ajudem-nos. Eles têm as mesmas necessidades que as ovelhas.


Roberto Celestino é diácono da Primeira Igreja Batista em Taquaritinga do Norte-PE


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…