Pular para o conteúdo principal

“Culto Infantil não é recreação”, declara pastor Marcelo Lieuthier


Pastor e técnico de Informática, Marcelo Lieuthier tem uma forte atuação relacionada ao Ministério Infantil. Em entrevista a ConTexto, ele fala sobre as formas que a Igreja pode fazer  para otimizar o trabalho com as crianças. Confira:


ConTexto: A Igreja tem negligenciado a qualidade do Ministério Infantil?
Marcelo Lieuthier: Não e sim!
Quando eu respondo não, quero dizer que existem Igrejas com uma visão ampla do Reino de Deus, fazendo investimento na formação de pessoas vocacionadas para o Ministério Infantil, adquirem materiais pedagógicos apropriados para serem usados no MI, e investem no mobiliário adequado.
Entretanto ainda temos Igrejas, que vem negligenciando o Ministério Infantil com a devida falta de investimento na formação de pessoas, nos recursos pedagógicos e no ambiente com mobiliário apropriado.
Quero só fazer uma observação:
Eu sei que cada igreja tem a sua realidade e deve ser respeitada, mas não é desculpa a ausência de investimento no Ministério Infantil, ao dizer: minha Igreja é pequena e os recursos são poucos para fazer algum investimento.


 Como é possível investir em evangelização infantil com resultados?
A primeira atitude é ORAR, para ser usado no poder do Espírito Santo.
Quando estou ministrando algum treinamento sobre Ministério Infantil, sempre falo o que a Palavra de Deus diz na Epistola de Tiago 1:5 e 6, se está faltando sabedoria vamos pedir a Deus com fé, que Ele vai atender o nosso pedido.
A segunda atitude é fazer um tríplice investimento.
Formação dos que irão atuar no Ministério Infantil.
Recursos pedagógicos (literatura e recursos visuais) para auxiliar na transmissão do Ensino Bíblico.
Ambiente e mobiliário adequados para receber as crianças.
Quando você é bem recebido em um local e sente que é querido naquele lugar, você tem a tendência de retornar. O mesmo acontece com as crianças que frequentam as salas do Ministério Infantil.
Ter um tio(a) bem preparado, que usa os recursos pedagógicos apropriados em um ambiente propício, são as condições favoráveis para que o Ensino Bíblico seja transmitido com excelência.

Lembrando que não adianta ter esse tríplice investimento sem a dependência do poder do Espírito Santo.


Qual deve ser o direcionamento em relação ao comportamento de crianças de cristãos no templo?
Vamos pensar da seguinte forma:
Escola produz – Conhecimento acadêmico
Igreja produz – Conhecimento de Deus
Família produz – Conhecimento de comportamento “educação”
É de total responsabilidade dos pais, o comportamento da criança no templo. Mas como cobrar se existem muitas famílias doentes por viverem longe dos princípios Bíblicos, e esses pais não estão na igreja?
Como evangelista de criança, tenho um olhar especial para o Ministério Infantil, e dou o seguinte direcionamento:
·         Capacite pessoas vocacionadas para o Ministério Infantil. Existem, ministérios idôneos como: APEC – Aliança Pró Evangelização das Crianças (com sede estadual em Recife); NOBEC – Núcleo de Orientação Bíblica para Professores Evangelistas de Crianças (também com sede em Recife); CTLI – Curso de Treinamento de Líder Infantil (Caruaru), desse último sou suspeito em comentar kkkkk.
·         Faça investimento em recursos pedagógicos como por exemplo uma excelente literatura para ser usada nas salas da EBD e Culto Infantil, (existem editoras idôneas, que produzem uma literatura apropriada para o uso no Ministério Infantil).
·         Invista no ambiente para que se torne um lugar agradável para a criança.

Esses três pilares criam um cenário apropriado para que a criança seja confrontada pela Palavra de Deus como também o próprio tio(a).

Existe alguma estratégia de como realizar a transição da ‘salinha’ para o templo para crianças cristãs?
“Salinha” melhor falando do Culto Infantil para o Culto Solene:
Não fazer desse momento um momento de recreação, mas um momento de Culto.
Levar um Ensino Bíblico que confronte a criança de como devemos nos comportar diante de Deus, da família e da sociedade.
Usar a mesma ordem litúrgica do Culto Solene, adaptando-a para a realidade do Culto Infantil com a finalidade da criança aprender, sobre cada momento e quando ela estiver entre as idades de 12 a 13 anos, não sentirá tanta dificuldade neste período de transição, por ser muito familiar cada momento da ordem da ordem do Culto.
Se alguém deseja ter uma Igreja comprometida, com o evangelho da graça de Deus. Invista no Ministério Infantil e, nos próximos anos, verá uma geração de líderes empenhados com o Reino de Deus.



Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…