Pular para o conteúdo principal

Youtuber iraniano critica filme do Porta dos Fundos

Em meio à polêmica gerada com o especial de Natal do Porta dos Fundos, o youtuber iraniano Sheij Qomi criticou a obra da trupe de Fábio Porchat. O teólogo muçulmano acusou o grupo de ofender a fé cristã e convocou cristãos e muçulmanos a se unirem contra o longa.



Iraniano Sheij Qomi criticou o Porta dos Fundos por ataques à fé cristã Foto: Reprodução
– Nós muçulmanos amamos e cremos no Senhor Jesus de todo coração e admiramos a Virgem Maria. Por isso, não permitimos que venham faltar com respeito a essas personalidades tão importantes. Não admitimos que alguém venha blasfemar e insultar essas pessoas sagradas. Como crentes, temos a responsabilidade de defender o que é sagrado nesta terra. Este filme é uma arma branca atacando os cristãos – declarou Qomi.
Em A Primeira Tentação de Cristo, Jesus (Gregório Duvivier) tem um romance gay com Satanás (Fábio Porchat). Já Maria (Evelyn Castro) vive um triângulo amoroso com José (Rafael Portugal) e Deus (Antonio Tabet), que é apresentado como um tio do Messias.


O youtuber ainda listou outros vídeos publicados no canal do Porta dos Fundos que ofendem a fé cristã. Lançada em 2017, a esquete Esquerda Túnica traz Porchat dando vida a um “Jesus de esquerda” a favor do Movimento Sem Terra, dos marginais e das prostitutas. Em outro vídeo, o Porta afirma que, para os católicos, Adolf Hitler estaria no céu.
Na quinta-feira (8), o desembargador Benedicto Abicair, da 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), determinou que o especial de Natal do Porta dos Fundos fosse retirado do ar pela Netflix. A plataforma de streaming entrou com um recurso junto ao STF e determinação foi derrubada por decisão do presidente do Supremo, o ministro Dias Toffoli.

Fonte: Pleno News

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio