Pular para o conteúdo principal

Tolerância - por Odailson Fonseca

Não sai da jaula quem põe a religião do próximo na gaiola. Porque LIBERDADE vai além de fugir das grades, é limpar a alma. Sem achismos, ou preconceitos. E mais que só ‘aturar’, é respeitar com ‘O’ amor que ousa deixar livre. Não apenas os iguais, mas os bem diferentes.⁣

Discordar do credo não é sinônimo de agredir o indivíduo. Jamais. Se quero respeito ao que ‘eu creio’ sou obrigado respeitar o que ‘eles creem’. Eles, quem? Todos. ⁣


E se nem creem? Também. ⁣

Mas não somos o sal da terra? Sem dúvida. Só que sem espezinhar o solo - barro feito de vidas. Singulares. Digitais únicas. Religiões distintas.⁣

Diz o artigo 5º, inciso VI, da Constituição: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias".⁣

Quer mais? “A bandeira da verdade e da liberdade religiosa desfraldada pelos fundadores da igreja evangélica e pelas testemunhas de Deus durante os séculos decorridos desde então foi, neste último conflito, confiada a nossas mãos” (E.White, DI, p.68). Ou seja, ninguém é verdadeiramente livre se está preso dentro de si.⁣

Acima disso, a Bíblia é uma selfie de Cristo. Jesus foi tolerante, misericordioso, amável e paciente (Lc.9:46-55). Dos Zaqueus às Madalenas, amou todos mesmo reprovando o erro de cada um. ⁣

“Ok! E o que é pecado na Palavra de Deus?” ⁣

Atenção! Tolerância não é conivência. Respeito não é covardia. E justiça não é limpeza étnica. Seguimos alicerçados na Rocha sem jogar pedregulhos nos que não Lhe seguem. Sejamos fundamentados sem fundamentalismos.⁣

Finalmente, extermine o cárcere da intolerância, do farisaísmo, da intransigência, da arrogância. Quem vai se libertar das algemas? Você. Pois crer, antes de ter, é ser. Como Aquele que morreu pra matar o pecado, o orgulho, a xenofobia... chega!⁣

Intolerância é roubar do outro o direito que você também reivindica para si. Seja livre. Compartilhe respeito.⁣

#1minutoprasempre

Odailson Fonseca é pastor

Comentários

  1. Belíssimo texto que nos deixa um aprendizado muito importante nas nossas vidas.!!!
    PARABÉNS.!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio