Pular para o conteúdo principal

Por Dentro do Polo - Liderança Saudável, por Jorge Xavier

A vida não é apenas sobre grandes acertos, é necessário entender que muitas das vezes falhamos e o mais importante é, o que você aprende quando falha. Todos os grandes feitos da humanidade foram antecedidos de erros, imagine  que Bill Gates falhou algumas vezes antes de criar a Microsoft. Thomas Edison disse: Eu não falhei, eu encontrei 10 mil soluções que não davam certo. A maioria das vezes somos muito rigorosos e acabamos por tolher as pessoas ou a sua criatividade, como pais e líderes precisamos cuidar para não oprimir a mente fértil dos nossos filhos e ou liderados, imagine um criança começando a andar, levanta- se e cai, levanta novamente da mais um passo e cai, o que você diria?  Ah, pare com isso seu bebê tolo, você não nasceu pra isso. Errar faz parte do processo, não o erro intencional, há um legalismo e uma cultura de perfeição inexistente que mata sonhos e aborta projetos.



Precisamos de uma cultura que faz dos erros um aprendizado, Judas e Pedro traíram Jesus, Judas agiu intensionalmente e não se arrependeu, já Pedro se arrependeu, corrigiu o erro, teve uma segunda chance e foi restituído. João 21: 16. Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de Jonas, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas. Não fomos chamados para julgar o outro, mas para exercer misericórdia sobre a vida do próximo.

John Maxwell, tem o que ele chama de processo de ação, que se divide em cinco etapas: Tentar, falhar, aprender, melhorar e recomeçar, segundo ele isso se repete por toda vida, é assim que aprendemos e  construimos grandes coisas. Todos que alcançaram o sucesso passaram por esse processo. "Só existe uma maneira de não errar, é nunca fazer nada".

O arrependimento de Pedro e o seu restabelecimento o tornou um  dos maiores pregadores da história senão o maior, a bíblia diz que em uma pregação sua se converteram mais de 3 mil pessoas. Atos dos Apóstolos 2: 41. De sorte que foram batizados os que receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas;

Aprendemos com Jesus, o maior líder da história, que todo líder precisa antes de tudo liderar pelo exemplo e humildade, mesmo podendo punir a Pedro, Jesus escolheu ama-lo e restituir sua vida e seu ministério, a questão é, quando temos o poder de decidir, de punir ou exercer a força, o que fazemos? Muitas vezes queremos o perdão, a ajuda, mas na hora de perdoar e ajudar, nos omitimos.

A verdadeira liderança, seja ela religiosa, política ou corporativa, precisa refletir o caráter de Cristo, aquele que, mesmo tendo toda autoridade, escolheu amar e exercer misericórdia sobre a vida das pessoas, Mateus 28: 18. E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Jesus de forma simples, tratava a todos com equidade e não com igualdade isso é filosofia comunista, fazia o bem sem distinção, amava as pessoas e as servia. Todo grande líder precisa: Ser humilde, tratar bem os liderados, amar as pessoas, tratar com equidade e acima de tudo servir.



Jorge Xavier é estudante de Gestão Comercial

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…