Pular para o conteúdo principal

Crônicas e Poesias - Você gosta?, Por Nelson Lima

Chegou Dezembro. Qual é a cor desse mês?
cor de Dezembro é Laranja – Mês de conscientização do câncer da pele. Este é o terceiro ano consecutivo que a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) colore o Brasil de laranja para passar uma mensagem importante: a de que o câncer da pele pode ser prevenido.


Na década de 1990, o Ministério da Saúde adotou o que ficou conhecido como as “cores da saúde”, creditadas a alguns meses do ano para a realização de mobilizações e campanhas publicitárias com o intuito de massificar as informações sobre determinadas doenças e a necessidade da prevenção. Os mais conhecidos são o Outubro Rosa (alerta para o câncer de mama) e o Novembro Azul (combate ao câncer de próstata).
Em 2013, diante do número cada vez mais crescente de câncer de pele, a Sociedade Brasileira de Dermatologia resolveu dedicar o mês de dezembro às campanhas de sensibilização para a prevenção da doença. É o #dezembrolaranja

Embora a cor laranja se repita nos meses de setembro, agosto e fevereiro, parece que essa coisa de cores é só pretexto pra colocar campanha no ar e se promoverem.

Mas pra mim Dezembro tem cor de Natal, ou melhor, dizendo, cor do clima do Natal e no Natal vivemos o clima da bondade, amor, carinho, consideração, paz, alegria, consternação, humildade, desapego às coisas usadas, caridade, euforia, encantamento, esperança, diálogo, compreensão, harmonia, paciência, tolerância, dedicação, ternura, mansidão, solidariedade, perdão, generosidade, partilha, doação, sorrisos, abraços e muitos beijos... Hiiii tem cor para cada ação dessas??? Paremos por aqui então... Mas lembrando que para muito as também Natal é angústia, tristeza, solidão, medo...
Termino com essa estrofe do poeta Pedro Poeta da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel:



Não adianta mudar
Só no tempo do Natal
Começar fazer o bem
Parar de fazer o mal
Se depois do Ano Novo
Vai fazer tudo de novo
Vai errar o ano inteiro
A bondade é um dom
E o “cabra” tem que ser bom
De Janeiro a Janeiro.


Nelson Lima é teatrólogo e poeta

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio