Pular para o conteúdo principal

Como comemorar o Natal com as crianças

Por Márcia Barbutti
 
Dezembro, férias da criançada, mudanças na rotina, viagem (talvez), preparativos (muitos), correria (quase certa), e o natal está se aproximando. Em meio a todo esse turbilhão é necessário manter o foco naquilo que é importante e verdadeiro nesse tempo de festa: o nascimento miraculoso de Jesus.

Esse foco precisa ser visto e compartilhado, não basta estar somente em nossas mentes adultas e em alguns enfeites pela casa. Esse foco deve trazer admiração e expectativa em nossos filhos, ainda que eles já conheçam os fatos da história do nascimento de Jesus.
 
Como pais nós podemos e devemos concentrar nossa atenção em torno do que é verdadeiro e central: Jesus. E o que podemos fazer?  
 
  1. Calendário do advento: preparamos um calendário exclusivo para você usar com seus filhos por oito dias até o Natal, ou seja, do dia 18 ao dia 25. O tema do nosso calendário é O que eles disseram
    Nos quatro primeiros dias vamos abordar os títulos que Jesus recebeu por meio do profeta Isaías (Is 9.2-6), a saber: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. Os textos foram adaptados do material para Culto Infantil da Editora Cultura Cristã
    Nos dias seguintes vamos abordar os fatos que antecederam ao nascimento de Jesus conforme a narrativa de Mateus e Lucas, enfocando o que foi dito à Maria, a José e aos pastores, terminando com o louvor dos pastores.  Você só terá que imprimir os cartões, seguir as instruções e preparar um cantinho especial para esse calendário. Tudo o que você precisa está aqui. Lembre-se de selecionar alguns cânticos ou clips para que tenham um momento de louvor em família. 
     
  2. A expectativa do presente: é claro que seu filho aguarda ansiosamente o presente que receberá no dia 25. Isso é bacana, mas que tal mostrar que Jesus é o maior presente de Deus para cada um de nós, e nada pode ser comparado a esse presente? Tente fazer uma comparação com seus filhos e mostre que Jesus é incomparável. 
     
  3. Entrega de presentes: não estou falando dos presentes que seus filhos irão ganhar, mas pense nos presentes que eles podem dar. Fazer uma limpa no armário selecionando roupas e calçados em bom estado, é muito bom, mas também planeje comprar algo para quem necessita, e/ou separe um tempo para visitar alguém que precisa da sua visita. Muitas vezes, o maior presente é estar presente. Mostre a alegria de dar (Atos 20.35). 
     
  4. Os enfeites: árvore, bolas, pisca-pisca e tudo mais, criam um ar festivo e traz muita alegria, contudo, priorize e dê destaque aos enfeites que remetam ao nascimento do Filho de Deus. As crianças podem fazer com massinha, papelão. Veja ideias aqui e aqui
    Se você quer saber sobre como contar aos seus filhos sobre o papai noel, leia esse excelente artigo de Miriam McConnell. 
     
  5. Cena viva: que tal na noite do natal, fazer uma encenação que envolva as crianças? Use a criatividade!
     
Que essas ideias ajudem você e sua família a comemorar de uma forma atraente e dinâmica o maior acontecimento de todos os tempos e que seus filhos possam vislumbrar as maravilhas do plano de Deus para nossa salvação.
 
Bônus
Veja aqui uma aula completa para escola dominical intitulada Promessa cumprida. Você encontrará o roteiro, PowerPoint, atividade de fixação e recursos. Esse material faz parte da revista Dia D+ da Editora Cultura Cristã.
 
E-books gratuitos sobre o Natal

Fonte: Ultimato

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…