Pular para o conteúdo principal

Por Dentro do Polo | Caruaru perde mais uma vez – por Jorge Xavier


Dois grandes empreendimentos do setor de moda estão sendo construídos em Pernambuco, mais precisamente na Região Metropolitana do Recife, as margens da BR 232 e mais uma vez Caruaru fica de fora de grandes investimentos e deixa de atrair cerca de R$ 265 milhões, como no caso da fábrica da Santana Textiles que foi para Bezerros e o pior é que dessa vez ganha dois concorrentes de peso.

O Recife Outlet Premium, que está sendo construído às margens da BR-232 em Moreno, vai gerar cerca de 2 mil empregos diretos, quando entrar em funcionamento, em outubro de 2020. Com investimento inicial de R$ 65 milhões pelo grupo BCI, este será o primeiro outlet em Pernambuco para venda de marcas premium de confecções e calçados.




Com capacidade, nesta primeira etapa, para 72 lojas, além de praça de alimentação com 10 operações de fast food e três restaurantes externos, o centro comercial ficará localizado a 20 km do Recife, na BR-232, em frente ao Condomínio Três Lagoas, no sentido Caruaru. “É um local estratégico com raio de influência de até 200 km. Mesmo com a crise, o mercado de outlet tem se mostrado resiliente. Isso acontece porque em momentos de crise, o consumidor fica mais consciente dos preços e muda os hábitos de consumo em busca de alternativas mais acessíveis, já que a filosofia dos outlets é oferecer produtos direto de fábrica, com bons preços e promoções o ano inteiro.

Já o município de Jaboatão dos Guararapes será o destino de um investimento de R$ 200 milhões do grupo Alphaville Urbanismo para construção de um outlet, que será erguido também às margens da rodovia BR-232, na área comercial da Cidade Alpha Pernambuco, onde também estão localizados os residenciais Alphaville Pernambuco 1 e 2. O assunto foi tratado nesta quarta-feira (31), durante encontro do prefeito Anderson Ferreira e o CEO da Alphaville Urbanismo, Klaus Monteiro.



Com previsão de início da operação para dezembro de 2020, o empreendimento deverá gerar cerca de 4,3 mil empregos diretos e indiretos, e ficará a poucos quilômetros do Recife Outlet Premium, anunciado pelo grupo BCI para outubro de 2020.

O empreendimento da Alphaville terá 101 lojas, numa área de 86,2 mil metros quadrados, com o objetivo de atrair consumidores da Região Metropolitana, do interior e de Estados vizinhos, como Paraíba e Alagoas. “Estamos tratando da chegada de um dos maiores grupos de outlet do País, com a certeza de que incrementará ainda mais a nossa economia e irá gerar mais de quatro mil empregos. As principais marcas estarão presentes com suas lojas de fábrica e o consumidor terá a oportunidade de comprar produtos de ótima qualidade com preços atrativos”, diz o prefeito de Jaboatão, Anderson Ferreira.

Eu fico me perguntando: por que a Prefeitura de Caruaru não se interessa por investimentos em um segmento tão promissor, já que o nosso município é vocacionado para esse segmento. A cidade possui hoje um terreno que foi doado pelo então governador Eduardo Campos, para a construção e mudança da feira, mas a atual gestão diz que o terreno não é bom. Não é bom, porém não se apresenta uma alternativa, o que vemos é uma feira se acabando, pois não possui estrutura física e muito menos segurança. O que vemos é que cidades menores como Toritama e Santa Cruz, estão dando um banho em Caruaru. Só nos últimos anos foram três grandes incêndios e ninguém toma providências, o Corpo de Bombeiros já disse em laudo técnico que, a feira no lugar que está não oferece nenhum tipo de segurança. Por sua vez economicamente está ficando inviável, só para se ter uma ideia segundo diretores da Acic em estudos feitos recentemente, de cada 200 ônibus de compradores que chegam ao Polo de Confecções do Agreste, apenas 28 ficam em Caruaru. A atual gestora prometeu em período de campanha (2016) transferir a feira de graça, mas até o momento nem sinal, aliás sinal só de fumaça, infelizmente. Então diante desse cenário a população e os comerciantes que ali atuam questionam qual é o real interesse da administração municipal? O que dá pra entender é que o interesse é apenas eleitoreiro, como foi dos outros governos que passaram. Por hora a única ação que vemos é a cobrança de taxas e impostos, melhorias que é bom, nada. E assim caminha Caruaru, a passos de Formiga e sem vontade.



Jorge Xavier é estudante de Gestão Comercial

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio