Pular para o conteúdo principal

Crônicas e Poesias - Caneta Azul, por Nelson Lima


Que coisa mais boba. Que leseira. Que esvaziamento de conteúdo intelectual, folclórico e popular. Que populismo barato. Como é fácil entrar nas mentes de certas pessoas e envolve-las num assunto, tão pertinente que é – câncer de próstata, repassando uma “musiqueta” que já tem hoje mais de um milhão de acesso.

As reportagens estampam: Quem é o cantor e compositor responsável pela música que não sai da cabeça de dez entre dez brasileiros? Como eu não fui pesquisado diga-se: ...entre dez de onze brasileiros!

Num programa de TV Rodrigo Faro chega a fazer deboche e com o autor presente!

A música criada pelo compositor amador Manoel Gomes virou hit em apenas dez dias.
Homem
Intelectual
Talentoso ???

Fonte de inspiração:
Em entrevista à emissora local TV Mirante, Manoel afirmou que criou a música com base no dia em que perdeu sua caneta indo para a aula.

– Eu ia para o colégio e perdi a caneta azul. Lá no colégio eu perdia uma, perdia outra, aí ninguém me deu a caneta que tava meu registro nela. Eu não achei e, no outro dia, fiz a música – declarou.  https://pleno.news/entretenimento

“que país seríamos?” se o soneto do pernambucano Carlos Pena Filho fizesse tanto sucesso quanto esse hit, no poema de Pena Filho, lê-se:
“Então, pintei de azul os meus sapatos
por não poder de azul pintar as ruas,
depois, vesti meus gestos insensatos
e colori as minhas mãos e as tuas.”"        www.gazetadopovo.com.br

Fico por aqui pra não ser mais grosseiro...


Nelson Lima é teatrólogo e poeta




Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos. A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores. Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas