Pular para o conteúdo principal

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 




Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.

Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da Antologia de contos, crônicas e poemas, que neste ano está em sua segunda edição. 


A tarefa de despertar o desejo pela leitura e a motivação para escrita enfrenta inúmeros obstáculos. Conforme a professora Agueda Ranyela, dentre os mecanismos de estímulo encontram-se os saraus, os quais ocorrem com o intuito de aproximar os discentes da arte literária, visando a produção textual e a participação deles no concurso de redação e na publicação da Antologia. Comumente poetas locais são convidados a participarem desses momentos especiais, para aproximar o autor de seus leitores e fazer os alunos entenderem que também lhes é possível gostar da leitura e produzir textos autorais. 


Dentre o quadro de professores de língua portuguesa, a EREM Lisboa dispõe de duas escritoras: Ionara Lima e Amanda Rocha. O último sarau, realizado aos 05 de outubro, disse o professor Augusto César: “foi um convite aos alunos para conhecerem as escritoras que há em suas professoras”. Na ocasião elas falaram da relação com a escrita, declamaram poesias e realizaram a leitura compartilhada de alguns contos e crônicas já publicados, expuseram suas fontes inspiradoras e revelaram planos para seus escritos. 


“Esses momentos são especiais, nos tocam e nos fazem perceber que a arte está perto de nós, nos constituindo, fico muito feliz com esses momentos em nossa escola” — disse a aluna Daysi Evaristo do 3° ano. A gestora Josélia Gomes ainda ponderou que “a escola tem o dever primeiro de ensinar conteúdos, mas participar da formação integral do cidadão também se faz necessário, e com esse fim, nós driblamos as dificuldades e avançamos para vê-los percorrer caminhos novos e descobrir a si mesmos e o mundo ao seu redor”.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid