Pular para o conteúdo principal

Todo crente deveria memorizar as Escrituras - por Neto Gregório

Fazer a afirmação “Todo crente deveria memorizar as Escrituras” parece algo de difícil assimilação para os dias de hoje. O tempo de atenção na era dos aplicativos como Snapchat e WhatApp é inferior a um minuto. É comum as pessoas afirmarem que não tem tempo – ou interesse – para leituras longas.


Mas o falecido evangelista Byron Spears ficou conhecido como a “Bíblia Viva” por causa de sua incrível habilidade em citar dezenas de passagens bíblicas em um único sermão, sem precisar abrir a Bíblia! Sua trajetória teve muito impacto por que ele as citava de forma convincente e as pessoas podiam ver o quanto a Palavra fazia diferença em sua vida.

A ideia de memorizar as Escrituras é mais comum do que pode parecer. Nas escolinhas infantis da maioria das igrejas, os meninos e meninas são estimulados a decorar um versículo por lição. A maioria dos cristãos sabe de cor a oração do Pai Nosso. Também é bem comum encontrar pessoas que decoraram os 10 mandamentos ou tem dois ou três versículos “favoritos” na ponta da língua e sempre que podem gostam de dizê-los.
Na caminhada cristã, temos bons exemplos de como a prática de decorar trechos das Escrituras podem fazer a diferença na vida de uma pessoa. Por exemplo, pode nos ajudar a superar a tentação. Quando Jesus enfrentou o diabo, que lhe dizia mentiras, ele não carregava consigo uma cópia das Escrituras. Mas respondeu: “Está escrito” (Mateus 4: 1-11).
O que Cristo fazia naqueles tempos, e devemos fazer hoje, é seguir à risca a recomendação do Salmo 119: 11: “Escondi no teu coração a tua palavra, para não pecar contra ti”. Quando nos dedicamos a meditar nas passagens da Bíblia e decorá-las, será mais fácil que o Espírito Santo nos lembre delas. Mas se não soubermos nenhuma, como ele irá nos lembrar?
Porém, o aspecto principal desse contato íntimo com a revelação bíblica é que isso aumentará nossa consciência da vontade de Deus. O salmista ensina: “Tua palavra é uma lâmpada para os meus pés, e uma luz para o meu caminho” (Salmo 119: 105).
Bem, sempre que nos deparamos com uma escolha – seja grande ou pequena – podemos depender do que Deus já nos revelou pelas Escrituras. Elas são a melhor maneira para nos guiar.
Paulo nos diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16, 17).
A Palavra de Deus é vontade Dele para nós. A Palavra de Deus nos muda em todos os sentidos. Logo, podemos dizer que encher a mente com as Escrituras nos aperfeiçoa para fazermos a obra de Deus.
A propósito, você já leu sua Bíblia hoje?

Fonte: Gospel Prime

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Solidariedade: grupo de voluntários distribui mais de 1.500 refeições em Caruaru

Em tempos de contágio do novo coronavírus, há outro sentimento sendo disseminado em meio à população: a solidariedade. A corrente do bem se espalha e as mãos que ajudam também são ajudadas pelas que recebem. Além da higienização do corpo, que é um dos protocolos das medidas sanitárias contra o covid-19, fazer o bem ao próximo ‘limpa a alma’ daqueles que percebem a condição humana de todos.

A pesquisa ‘Tracking the Coronavírus’, realizada pela Ipsos entre 26 e 28 de março, mostrou que o Brasil está no topo do ranking dos países quanto à preocupação com as pessoas mais vulneráveis. 70% dos entrevistados no Brasil afirmaram temer pelos mais debilitados.
Neste percentual, estão as missionárias Sabrina Carvalho e Sara Galdino, que moram em Caruaru, no Agreste pernambucano. Em meandros de março, elas iniciaram uma ação que, a princípio, parecia pontual e singela. “Quando as autoridades em saúde começaram a intensificar a necessidade de constante higienização das mãos, ficamos preocupadas com…