Pular para o conteúdo principal

Por Dentro do Polo / A importância dos toyoteiros para o desenvolvimento econômico do Polo - por Jorge Xavier

O Agreste pernambucano ocupa posição de destaque no cenário da moda nacional como o segundo maior produtor do país. E isso tem atraído olhares de empresários de dentro e até mesmo de fora do Brasil. O Polo hoje contempla cerca de 40 cidades só em Pernambuco, são números bem expressivos mesmo. Essa região teve um grande crescimento econômico principalmente nos últimos 20 anos, vários fatores impulsionaram esse crescimento, principalmente a força, coragem e capacidade empreendedora do nosso povo, que não se dobra diante das dificuldades.

Foto do blog Cenas da Estrada


Mas diante de tudo isso, algo tem ajudado bastante no crescimento dessa região, na verdade tem sido imprescindível para esse desenvolvimento, que são os TOYOTAS BANDEIRANTES (veículos modificados artesanalmente). Só quem é da região sabe a importância desse tipo de transporte, para conduzir as pessoas, como também transportar as nossas mercadorias. Esse tipo  de veículo começou a ser produzido (alongado) na cidade de Brejo da Madre de Deus, no Agreste e é conhecido como LIMOUSINE do Nordeste e também tem grande utilidade por conta da nossa geografia montanhosa, há lugares que só se chega de TOYOTA.

Aqui esses Bandeirantes com fama de resistentes e valentes são usados como transporte alternativo complementar, para transporte escolar, viajens, turismo e para transportar as mercadorias produzidas no Polo de Confecções do Agreste. São eles que ajudam a movimentar essa economia que beira a casa dos R$ 6 bilhões por ano, transportando comerciantes com sua produção para vender nas principais feiras, transportam também os turistas e compradores que circulam na nossa região semanalmente.

Autoridades e representantes de classe debateram
o assunto em audiência pública. Foto: Viliane Gomes/cortesia

Recentemente foi aprovada a lei federal 13.855/2019, proposta pelo deputado pernambucano Daniel Coelho, que entrará em vigor a partir do dia 09-10-19 e altera a condução de passageiros e a infração de grave para gravíssima, além de multa de R$ 1.467,35 e apreensão do veículo. Se providências urgentes não forem tomadas, milhares de trabalhadores ficarão desempregados, hoje no interior são cerca de 10 mil motoristas  trabalham nesse tipo de transporte alternativo. Ontem à tarde (terça-feira 10) foi realizada uma audiência pública na cidade de Santa Cruz do Capibaribe, a principal em produção de confecções, sobre esse sistema de transporte, para tentar encontrar soluções para a categoria. Na ocasião estiveram presentes os deputados Erick Lessa (Presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico), Diogo Morais e Alessandra Vieira, como também alguns prefeitos e vereadores da região, representantes dos governos estadual e federal, e os representantes da categoria, que compareceram em massa, o evento foi de grande proveito. Esperamos que o caso seja solucionado o mais rápido possível para que a nossa economia e a nossa população não sofram com isso.

Jorge Xavier é empreendedor

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid