Pular para o conteúdo principal

Nunca Subestime a má Liderança e o impacto de trabalhar em um Ambiente Tóxico - por Raimundo Ribeiro


Pessoas que amam e tem um bom trabalho, uma vez que não tem ao seu lado um líder confiável, serão pessoas infelizes no trabalho e precisam ter coragem para começar a planejar sua estratégia de saída.

"Qualquer semelhança com fatos ou situações da vida real terá sido mera coincidência". Por exemplo: Quando um líder comete um erro em uma estratégia ou projeto que estávamos trabalhando juntos e, em vez de reconhecer o erro e o sucesso em conjunto, ele diz que a culpa não é dele. Numa rápida pesquisa na internet, fiquei chocado e desapontado em perceber que esse e outros pontos abaixo são bem mais comuns e prejudiciais do que eu e você imaginamos.



Um líder ruim pode pegar uma boa equipe e destruí-la, fazendo com que os melhores funcionários fujam e o restante perca toda a motivação.

As pessoas não saem de maus empregos, elas deixam maus líderes que criam um ambiente de medo e dificulta o trabalho no dia a dia. Na maioria das vezes, um funcionário que tem um problema com uma empresa, é algo relacionado ao seu líder.

Líderes ruins podem influenciar até na vida particular de uma pessoa. Cuidado, falta de liderança pode ser prejudicial à saúde.

Não foi fornecido texto alternativo para esta imagem
Estudos de universidades norte-americanas relacionaram a má liderança a prejuízos no ambiente de trabalho e vida pessoal dos colaboradores.

1) O ambiente se torna hostil. Uma liderança ruim é capaz de afetar todo o espírito da equipe. Um estudo da Universidade da Flórida revelou que comportamentos de fofoca e sabotagem se tornam comuns até entre os melhores colaboradores se eles se sentirem maltratados pela chefia.

2) A imagem externa da empresa fica prejudicada. A má atitude de um líder não afeta apenas os colaboradores, mas como a empresa é vista no mercado. Foi isso o que mostrou uma pesquisa da Universidade do Sul da Califórnia. Ao observar um clima hostil na empresa, é natural que os clientes façam generalizações negativas em relação ao ambiente de trabalho. Como consequência, é possível que não se sintam motivados a fechar contratos com a empresa.

3) A vida pessoal dos colaboradores é afetada. Ninguém é totalmente capaz de separar o que acontece no trabalho e em casa. Por isso, uma relação ruim pode impactar na vida familiar. Segundo um estudo da Universidade de Baylor, ter um líder abusivo – que faz uso de ameaças, críticas públicas e acessos de raiva, por exemplo – pode resultar em mais conflitos domésticos para os colaboradores.

4) A criatividade da equipe cai. Um estudo da Universidade da Florida revelou que as pessoas que atuam em ambientes estressantes são 30% menos criativas e apresentam ideias 25% a menos do que as que trabalham em ambientes agradáveis.

5) Pode aumentar o risco de doença cardíaca? Sim! O estresse e ansiedade causados por metas impraticáveis, falta de apoio, práticas desleais e ameaças de punição. Se o seu gerente não gosta de você, você está em um terreno instável. Altos níveis de estresse estão diretamente ligados ao estresse com a aterosclerose, a doença das artérias que, por sua vez, causa doenças cardíacas.

Trabalhar neste ambiente na verdade é mais um fator de risco para doenças cardíacas, combinado em não fazer exercícios ou estar acima do peso. Essa combinação eleva a chance de um trabalhador ter um ataque cardíaco em até 60%. Lembre-se: Faça sua parte cuidando do corpo e da mente.

Nunca subestime o impacto de trabalhar em um ambiente tóxico. Ele irá permear em todas as áreas da sua vida. Tente mudar para um emprego diferente na mesma empresa ou de empresa. Por outro lado, se você tiver um bom líder, aprecie-o. Bons líderes são capazes de levar uma organização e pessoas a novos patamares.

E aí, você está pronto para ser visto, reconhecido, atuar e assumir a responsabilidade de um líder de verdade?

Você passa metade da sua vida no trabalho e seu supervisor imediato determina o ambiente de trabalho. A vida é muito curta para passar mais de 40 horas por semana em constante estresse, infelicidade e insegurança. Lembre-se: Você como líder é responsável pelo ambiente de trabalho que quer para a sua equipe.


Raimundo Ribeiro é executivo de vendas, palestrante e educador

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…