Pular para o conteúdo principal

Sem Aspas | Uma luta. O alvo? O Domínio Próprio - por Amanda Rocha

A imensidão de prazer encontrado na satisfação de nossa matéria só pode ser confrontada com a certeza das promessas de vida eterna concedida pelo misericordioso Deus, que age com infinita graça e aplaca sua ira sobre nós. O homem entregou-se a si mesmo, destarte, tornou-se vulnerável. Naufragou nos males resultantes da ausência do Criador, volveu-se um prisioneiro de seus instintos, sobretudo, de suas paixões. Este homem recusa a graça, regozija-se em prazeres efêmeros, embriaga-se de arrependimento e dores com aparência de infinito e, sim, o são. 

Sem fim serão as dores e o febril arrependimento que decorre da falta de luta contra a própria natureza. Negar-se a si mesmo parece revestir-se de objetivos quase que inatingíveis quando uma população imensa e monstruosa incita a complacência com a ausência de pudor, de valores. São amantes do doar-se aos desejos, despreocupados com as consequências. 



A racionalidade se esvai e o homem decide, sem análise, sem consultar o autor de sua história, tomar a pena e escrever impulsivamente seu caminho e trilhá-lo cegamente, entretanto, apontará o ser Divino, que hoje ignora, quando a lei da semeadura se fizer executável e, então, colherá o dolente. Erguerá o indicador, uma vez que é incapaz de olhar para si e reconhecer que as ações impulsionadoras foram suas. Reclamará o porquê da existência de Deus permitir que tamanho mal lhe sobrevenha, mas é, desde já, incapaz de reconhecer sua contribuição.

A entrega ordinária às paixões revela o que há de mais execrável em nós mesmos, desconhecemo-nos e pomo-nos assustados com nossas ações. Em oposição, o amor verdadeiro explora a moderação, embora analise os defeitos de caráter, continua a admirar o que há de belo e transcendente no ser amado. Não há insanidade nisso, o amor apenas escolhe enfatizar e estimular o bem, a beleza, mas nesse instante falo apenas do amor Eros ou Philos, os quais ainda distam do perfeito e puro amor: o Ágape, pois, esse último é agente transformador, vislumbra os males e expurga-os para tornar o ser amado uma nova criatura.

Negar as próprias ambições é das maiores dificuldades que se enfrenta. Submeter-se à vontade do Ser Sublime que não se pode vislumbrar, se não por olhos espirituais, é dos maiores desafios. Somos induzidos por nosso interior a lutar por uma superioridade ante nossos opositores, mas a lógica divina é inversa, e convida-nos à humilhação, todavia, é nesse submeter-se ao outro que encontraremos exaltação, ou seja, é subordinando nossos impulsos ao caráter divino que eles serão moldados. 

A submissão aprimora-nos, porém essa tarefa é árdua. Há uma luta entre o que sabemos que devemos fazer e o que de fato queremos ou fazemos, assim, não poucas às vezes nossos discursos tornam-se hipócritas. O certo, o bem estão cravados em nossa mente, contudo, o palpitar de nossos íntimos desejos querem se aventurar em desafios que estimulam a perda. Perdemo-nos, desconhecemo-nos e confrontamos os paradoxos que nos habitam numa mistura insana que não culmina em moderação, no entanto, em provocações que só podem ser perpassadas com a doação absoluta ao Deus que nos gerou para si e molda-nos conforme sua vontade. Moldados, já não viveremos em nós mesmos, mas Cristo viverá em nós.

A indicação de livro hoje é Espirito Santo, de Billy Graham. Que Deus vos abençoe.


Amanda Rocha é professora e escritora

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio