Pular para o conteúdo principal

Inovação e fé | “Tecnologia da repetição” – por Eduardo Freire


Hoje quero refletir com vocês uma frase muito interessante do jornalista americano Sydney J. Harris (14 de setembro de 1917 - 7 de dezembro de 1986).

“O perigo de verdade não é que computadores passem a pensar como humanos, mas sim que humanos passem a pensar como computadores”.

O ser humano é altamente completo, formado por estruturas complexas e conexas. Tudo interligado perfeitamente. Funcionando como uma sinfonia perfeita num mundo de possibilidades infinitas.

O homem tem as características de Deus em sua essência, todos foram formados a sua imagem e semelhança e Ele nos dotou de virtudes ainda inexploradas, imensuráveis e inalcançadas pela mente humana, que apesar ser extraordinária é limitada diante da mente do seu criador.

Como seres completos e profundamente inteligentes não podemos nos limitar ao processo de repetição, nos tornando refém de nossas próprias criações, precisamos ser humanos e não máquinas.

Humanos não podem viver no “automático”, humanos se relacionam, se emocionam, possuem razão própria e são livres para tomada de decisões. A partir do momento que perdemos estas características deixamos de nos comportar como humanos, mas nunca deixaremos de ser humanos. As nossas decisões não mudam o que somos em essência, pois o homem mesmo perdido em seu propósito ainda é um homem, que tem dentro de si um coração que clama por vida e uma mente repleta de memórias, esta é a grande diferença, do pensar como “máquina”, porque o homem tem a possibilidade de transformar-se e voltar a viver como homem, se reinventar-se e ser infinitamente melhor, através de uma renovação diária de mentalidade.

Aceite sua humanidade, aceite suas emoções, aceite suas decisões, aceite suas virtudes, crie, inove, e viva sem limitar-se a repetições, você pode desenvolver muito mais do que imagina, viver muito mais do que imagina, ser feliz muito mais do que imagina, se for para repetir, “que seja o que você ainda não fez!”. Parece ilógico, mas o que ainda não fiz é “novo”, então que o novo se repita em você.
Obs: Máquinas não pensam, apenas repetem o que é velho.

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”.
Romanos 12:1,2

Àquele que é capaz de fazer infinitamente mais do que tudo o que pedimos ou pensamos, de acordo com o seu poder que atua em nós,
a ele seja a glória na igreja e em Cristo Jesus, por todas as gerações, para todo o sempre! Amém!
Efésios 3:20,21



Eduardo Freire é publicitário, pós-graduado em Marketing Corporativo, e pastor sênior da Igreja Com Propósito em Caruaru-PE

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio