Pular para o conteúdo principal

Crônicas e Poesias | Luar da Estação - por Nelson Lima



E a Lua ao longe por cima do armazém, espera qual vai ser a decisão...

Inaugurada em 1895, funcionou por muitos anos transportando passageiros e cargas comerciais, além de também integrar ações voltadas aos festejos juninos com as viagens do "Trem do Forró" durante o mês de junho. Hoje o trem não passa mais, mas o local deu abrigo para a realização de diversos eventos culturais na cidade durante todo o ano.

Desde 2010, quando comecei a frequentar a Estação por conta das atividades culturais lá desenvolvidas, que observo o comportamento da Lua. Desde o nascente ao “morrente” (como dizia o saudoso Coronel Ludugero). Em 2012, acho eu, que, onde funcionava a Casa dos Artistas mantida pelo poeta Valdez Soares, passou a se instalar a sede provisória da Academia Caruaruense de Literatura de Cordel, parceria da qual somos agradecidos ao Valdez e passando a somar artes com as Casas que já estavam lá, a saber: Boi, Pife e Teatro. Até que em agosto de 2014 conseguimos uma Casa (espaço), e colocamos o nome de Casa do Cordel, mantendo assim a nomenclatura existente: Casa do Boi, Casa do Pife, Casa do Mamusebá. Nessa mesma data, se instalou a Casa da Capoeira, que passou a ser nosso vizinho de tábua.  

E a Lua sempre deu seu ar da graça, mas aos poucos foi se distanciando...

Doravante começou um zum zum zum, de que aquelas casas iam ser derrubadas e etc. etc. Entra gestores e sai gestores da Fundação de Cultura e cada um com mil e uma ideias para o local. Ah, esclarecendo:

A Fundação de Cultura e Turismo é o órgão responsável por executar políticas de cunho cultural, em todas as suas dimensões e expressões. Tem como objetivo principal a promoção, o apoio, o incentivo, a preservação e a difusão das identidades e produções culturais de Caruaru de forma estruturadora e sistêmica focada na inclusão social, no acesso e na diversidade cultural.

E a Lua ao longe por cima do armazém, espera qual vai ser a decisão...

Nas minhas pesquisas constatei que após de mais de uma década de ocupação irregular da Estação Ferroviária, a Prefeitura de Caruaru conseguiu o direito real de uso do espaço. No dia 17 de julho de 2018, foi publicado, no Diário Oficial da União, o termo de cessão de uso concedido pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) ao município.


Ainda em 2017, foram criadas duas comissões – uma da gestão municipal e uma do Conselho de Cultura – para debaterem (e parece que esse debate nunca existiu) o processo de organização da estação ferroviária junto com a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

E o Coletivo de Artistas que preservam a Estação há mais de uma década? Nem são citados para participarem de tais debates, isso sim. Só sabem que as Casas vão ser derrubadas e bla bla bla...


E a Lua ao longe por cima do armazém, espera qual vai ser a decisão...

Nessas alturas já são vários órgãos envolvidos - tirando-se claro a comissão municipal do Conselho de Cultura, temos: Fundação de Cultura, Transnordestina, ANTT, DNIT, Fundarpe e Iphan.


Reconheço que a gestão da Prefeita Raquel Lyra conseguiu fazer os reparos e oficializar esta cessão no tempo recorde de um ano e meio. A cessão é gratuita pelo prazo de 20 anos, condicionada ao uso turístico e cultural dos espaços”. Enquanto isso...

A Lua ao longe por cima do armazém, espera qual vai ser a decisão...


Nelson Lima é teatrólogo e poeta

Comentários

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio