Pular para o conteúdo principal

Sem Aspas | As misericórdias do Senhor faz-nos vencer os dias maus - por Amanda Rocha


Vivemos dias maus. Sentimos temor de sair de nossos lares mesmo que para nos conduzirmos ao templo para uníssonos, em oração, clamarmos a Deus. O que nos faz vencer o medo é a certeza de que O encontraremos. Sua presença nos atrai, ansiamo-la; todavia, temos de reconhecer que as adversidades, a rotina, as obrigações e, sobretudo, os prazeres e os desejos de nossa personalidade podem nos afastar do Senhor, podem impor um distanciamento, uma barreira entre Deus e nós; contudo, aqueles que foram chamados por sua infinita graça sentem o desejo irresistível de negar-se a si mesmo e tornar ao primeiro amor, ainda que afastemo-nos seremos atraídos por Ele e regressaremos por sua infinita bondade e misericórdia. 


O pecado é responsável pelo distanciamento entre Deus e o homem e para atar o laço de comunhão Deus enviou-nos Jesus, o qual por seu incomensurável amor doou-se a si mesmo em morte de cruz para a remissão dos pecados. Os dias são maus, mas grande é o Senhor que nos fortalece.

Na antiguidade, Davi também viveu dias maus e bradou a Deus. Há diversos Salmos que nos mostram o clamor de nossos irmãos para que os livre dos homens maus e violentos, bem como, os restaure de suas próprias iniquidades. Clamaram a Deus que os retirassem da lama.

A desobediência distancia o homem de seu Criador e provoca dores que afligem o corpo e a alma. Salmos 6 nos versículos de 1 a 3 revelam que o salmista Davi descrevia ao Senhor suas dores nos ossos e na alma, todo o capítulo revela um rei que reconhecia seus erros, compreendia que era merecedor de um castigo por suas transgressões, mas que requeria a Deus sua misericórdia. Em diversos Salmos o poeta reconhece seu pecado, porém o medo da merecida punição fazia-o bradar pelo perdão: Misericórdia, Senhor, cura-me, pois pequei contra ti (Salmos 41:4).


A ira de Deus é a manifestação de sua justiça, somos todos dignos da condenação eterna, entretanto, as misericórdias do Deus bondoso renovam-se a cada manhã e impedem que sejamos consumidos. Lamentações 3.21-23:

Todavia, lembro-me também do que pode dar-me esperança:
Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis.
Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade!


Os problemas angustiam os servos do Senhor, porém os que aguardam nEle encontrarão consolo e livramento; serão revestidos pela paz que transcende qualquer entendimento (Filipenses 4.7), não se trata de um sentimento anestésico, mas a certeza de que o Deus todo poderoso agirá para o bem daqueles que o amam (Romanos 8.28); é versar sobre a convicção de que a bondade e as misericórdias o seguirão todos os dias de sua vida (Salmo 23.6).

O cristão alimenta-se das promessas do Senhor e guarda em seu coração as palavras de que “aqueles que semeiam com lágrimas, com cantos de alegria colherão” (Salmos 126:5). Glória ao nosso senhor, pois é rico em misericórdia e nos amou juntamente com Cristo, quando ainda estávamos mortos em transgressões (Efésios 2.4,5 e Romanos 5.8). Ele estendeu-nos a mão e nos livrou do poder das trevas, transportando-nos para o reino do Filho do seu amor (Colossenses 1:13). Deus, segundo sua misericórdia nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos (1 Pedro 1.3).

Em Romanos 9.15 o apóstolo Paulo relembra as palavras de Deus a Moisés: “Terei misericórdia de quem eu quiser ter misericórdia e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão", isso nos remete a certeza de que a salvação não advém de nossas obras ou esforços, é pela graça que somos salvos, são as misericórdias que nos alcançam, elas estende-se aos que o temem (Lucas 1.50), não adianta o homem vangloriar-se por qualquer boa ação que possua, pois sem Deus nada podemos fazer (João 15.5), “porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém” (Romanos 11:36).

O mundo é mau, mas clamemos ao Senhor por suas misericórdias, para que nos livre de toda maldade, mas também de nossas transgressões, de nossos pecados e que dirija-nos por seu caminho. “Todas as veredas do Senhor são misericórdia e verdade para aqueles que guardam a sua aliança e os seus testemunhos” (Salmos 25:10). Jamais nos olvidemos:

Portanto, visto que temos um grande sumo sacerdote que adentrou os céus, Jesus, o Filho de Deus, apeguemo-nos com toda a firmeza à fé que professamos, pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado. Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade. Hebreus 4:14-16.




A indicação de leitura de hoje é O Mestre da Sensibilidade, de Augusto Cury. Deus vos abençoe.



Amanda Rocha é professora e escritora

Comentários

  1. O que acho tremendo nas misericórdias do Senhor sobre nós, é saber que ela é o escudo entre nós e a ira de Deus pelos nossos pecados...
    Sem ela, nós já teríamos cidos destruídos.
    E o mais tremendo é que estas misericórdias não só nos impedem de recebermos o que merecemos, como está atrelada a um favor imerecido, á saber a Graça Bendita do nosso Salvador Jesus Cristo!
    Quando Deus olha pra nós, Ele enxerga duas coisas; as misericórdias que nos cobre e também a Graça que nos abraça, através de Seu Filho Jesus Cristo.
    Merecemos a condenação eterna, e recebemos a eterna redenção!
    Jesus tomou pra Si o pior e nos deu o melhor!
    Que Amor é esse??
    Como não amar Alguém que nos ama tanto assim!?

    ResponderExcluir

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid