Pular para o conteúdo principal

Tonho do SAAE vence torneio de jogo de damas

O primeiro torneio do Jogo de Damas que foi realizado no final de semana em Catende, na mata sul de Pernambuco, teve como campeão Antônio José da Silva (Tonho do SAAE). O torneio foi realizado nos dois clubes tradicionais da cidade, Catende Club e no Clube Leão XIII.

Tonho do SAAE venceu a final por 2x0.
Foto: Divulgação


O campeão Catendense e da mata sul disputou a final com um adversário muito forte de Ribeirão e conseguiu vencer por 2x0, com muita dificuldade. Mais de 2 mil pessoas pessoas foram prestigiar o torneio e torcer pelo campeão da cidade. Segundo Tonho do SAAE, "Passei a noite quase toda ensaiando jogadas para conseguir ganhar o torneio. Fui bem sucedido e consegui ganhar por 2x0. E me tornar um grande campeão."

Os torcedores, no final do torneio,  carregaram Tonho nos braços e a festa rolou até altas horas. Foram 28 jogadores de damas na disputa do torneio deste domingo das cidades de: Catende, Ribeirão, Palmares, Xexéu, Água Preta, Caruaru e Recife.

Na final, o grito de campeão ficou por conta do torcedor catendense com Antônio José da Silva, campeão do jogo de damas, que ergueu o lindo troféu.

Colaboração: Fábio Santana

Comentários

  1. Boa noite campeão so retificando alguns pontos foram 28 jogadores sendo 8 semifinalista ocasionando na grande final entre tonho do saae e o empresário Malaquias de Ribeirão o qual perdeu a 1 foi foi a disputa tentando vencer para ocasionar uma terceira partida mas tonho jogava pelo empate e o fez assim sua segunda partida sagrandose campeão sendo esse jogo observado pela mídia diretamente transmitido pelo Facebook e por demais participantes que ali estavam sobre minha organização e a ajuda de meu amigo zequinha

    ResponderExcluir
  2. Na palavra sangrandose lê-se sagrou-se

    ResponderExcluir

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio