Pular para o conteúdo principal

Artigo | “Um forasteiro de Alagoas...” - por Oscar Mariano

Quem conhece um pouco da história de Caruaru, sabe que nossa amada cidade cresceu no entorno da Igreja da Conceição e que a feira, era e é o principal pulmão econômico do município, onde homens e mulheres trabalhavam e trabalham ainda hoje, mostrando a força que nosso comércio possui. Muitos destes cidadãos não são nascidos no “País de Caruaru”, mas contribuíram e contribuem para o desenvolvimento econômico desta cidade, que é conhecida por seu comércio diversificado e ainda em crescimento e onde tudo se encontra, como canta Onildo Almeida: “de tudo que há no mundo tem na Feira de Caruaru”.

Meus dois avôs, Oscar Mariano e Cordovil Dantas, foram homens que não nasceram em Caruaru, mas fizeram história, onde são lembrados ainda hoje. Pois, quem nunca ouviu falar no restaurante Brasileirinho, que vendia a famosa sopa de feijão, onde todos os dias centenas de trabalhadores iam se deliciar ao final de mais um dia de trabalho. Meu avô, Oscar, era o proprietário deste restaurante, porém veio morar muito cedo em Caruaru, vindo de sua cidade natal, Palmares – PE, onde começou trabalhando como garçom no antigo Guanabara, e depois de muito esforço iniciou seu próprio negócio, onde tinha aproximadamente 25 funcionários, e assim ajudou no desenvolvimento do município. Já o meu outro avô, Cordovil Dantas, era militar aposentado, radialista e seresteiro. Trabalhou em várias rádios e Caruaru, e durante décadas sempre aos sábados, cantava no Palace Hotel, onde os boêmios e admiradores de uma boa música, iam passar suas noites escutando músicas de Nelson Gonçalves, Altemar Dutra e tantos outros. Além, disto ele foi durante muito tempo, funcionário da Prefeitura Municipal, onde desempenhava sua função com muito zelo e amor por Caruaru.
Pois bem, o motivo desta explanação sobre meus avôs, é para mostrar que não é necessário nascer em Caruaru, para se fazer história e ajudar com o desenvolvimento da cidade. Não é obrigatoriamente ser nativo para amar ou lutar por melhorias para “Princesinha do Agreste”. Digo isto, por ter me incomodado com a fala do senhor João Lyra Neto, político tradicional de Caruaru, onde o mesmo disse numa rádio a seguinte frase: “Um forasteiro de Alagoas”. Ele quis com essa frase, atingir uma pessoa, porém quando disparamos palavras para atingir alguém, outras centenas podem ser atingidas. Ex-prefeito, meu avô Cordovil Dantas, era natural de Alagoas, nascido em Maceió, e era um apaixonado por Caruaru e pelo Central.

Acredito que o ex-prefeito deveria ter mais cuidado com as palavras, e evitar conceder entrevistas quando estiver com raiva de alguém, pois ofender as pessoas, além de ser deselegante, pode ser um tiro no pé, pois os “forasteiros” de diversos estados brasileiros e que moram em Caruaru, além de pagarem seus impostos municipais, também são eleitores.

Oscar Mariano
Neto de dois “forasteiros”




Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…