Pular para o conteúdo principal

Altos Papos | Depois... - por Davi Geffson


Pensei em deixar pra DEPOIS
Falar sobre esse dilema
Que aprisiona tantas almas
E às vezes causa problema,
Mas iremos falar agora
E “DEPOIS” vai ser o tema.

É essa palavrinha que tem impedido muita gente de ser feliz. Tem sido muito comum deixar para depois o que poderia ser feito no hoje. A vida é um conto ligeiro, tudo é muito breve, os dias passam com grande velocidade e nós, como estamos aproveitando esse tempo?
Existem muitos que estão deixando para amar depois, para dizer o que sente depois, para ser o que quer depois, enfim, o depois é uma grande incerteza, é uma incógnita, pode ou não existir. E se não houver? Valeu a pena deixar pra depois?



Viver em função do amanhã é perder a essência que está disponível no hoje, é deixar de sorrir agora. Já pensou como seríamos tão felizes se vivêssemos cada dia como sendo o último? Afinal, cada dia é o último, nenhum dia será igual o outro, nenhum momento irá se repetir como outro, cada instante é único, nada se repete, apenas vivemos algo semelhante.
Para um pouco e pensar sobre isso, poderá nos fazer pessoas felizes. Quantas vezes ao deitar a gente não afirma, dizendo: “- Hoje não fiz quase nada, passou tão rápido”, pois é, nenhum dia será lento o suficiente para que realizemos o que desejamos, por isso, aproveite o agora, desde que você começou a ler esse texto, alguns instantes já se passaram, você não está perdendo tempo, pelo contrário, está aproveitando o pensamento da mudança de concepção, que tal aplicarmos agora?
Aproveite esse momento e fala uma ligação, não estou falando em mandar mensagem pelo whatsapp, isso já fazemos, refiro-me a ligar mesmo, só para ouvir as voz do outro e dizer o que você sente, abrace alguém que você nem conhece, existem pessoas que só necessitam de um abraço, faça isso agora, não espere pra depois, pois talvez o depois nem exista.

É que depois o café esfria
Depois a sopa congela,
Depois a chuva passa
Depois você só anela,
Perde de ver o arco-íris
Numa linda aquarela

É que depois a luz se apaga,
Depois a cidade escurece,
Depois o que era jovem,
Certamente, envelhece
Depois o forte fica fraco,
E o lembrado se esquece

Saia distribuindo flores
Que o “te amo” seja teu canto,
Que teu abraço seja um lenço
Pra enxugar qual seja o pranto,
Que não fique pra Depois
Por isso agora eu adianto!

Pense nisso!



Davi Geffson é mercadólogo e universitário de Letras




Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio