Pular para o conteúdo principal

Crônicas e Poesias | João Batista ou Evangelista? - por Nelson Lima

Quantos homens chamados João você conhece? Ou Pedro? Nos tempos da Bíblia havia o mesmo problema. A situação se complicava ainda mais porque as pessoas normalmente só tinham um nome, não tinham nome de família. Às vezes distinguir quem é quem na Bíblia fica complicado, confira:



João era um nome popular no tempo de Jesus. João Batista era um parente de Jesus, filho da prima de Maria. Ele foi cheio do Espírito Santo desde o ventre e preparou o caminho para o ministério de Jesus, pregando o arrependimento. Esse João ficou conhecido como Batista porque batizava as pessoas que se arrependiam no rio Jordão.
João Batista é apresentado como o precursor de Jesus. Aquele que preparou os caminhos viveu em uma época muito perturbada da Palestina, também de muitas expectativas. Encontramos João no deserto de Judá nas cercanias de Jericó no lugar chamado Enon lugar de fontes de águas. João foi aquele que batizou a Jesus. O profeta João Batista exigia conversão e mudança de vida. Assim o deserto se torna o lugar do encontro com o movimento profético para preparar o caminho da chegada do Messias.

Com essas informações
De pesquisa verdadeira,
Esse João Batista ao menos
Não tem relação com fogueira.

O João conhecido como Evangelista foi um dos 12 apóstolos de Jesus. Ele foi um dos apóstolos mais conhecidos e escreveu vários livros do Novo Testamento. João ficou conhecido como o Evangelista porque escreveu o Evangelho de João. Também escreveu as três cartas de João e o Apocalipse.
O apóstolo João, filho de Zebedeu foi chamado por Cristo para ser seu discípulo (inicialmente era discípulo de João Batista. Dos doze apóstolos, tornou-se o mais destacado teólogo e seus escritos provam isto. Ele morreu de morte natural, em Éfeso, no ano 103 d.C., quando tinha 94. Segundo algumas interpretações João era o apóstolo que Jesus mais amava. Ele tinha um enorme afeto pelo Senhor e vice-versa.

Oxente, confuso estou.
João Evangelista também,
Relação com a fogueira
Na verdade não, não tem.

Além desses dois, a Bíblia fala sobre outro João, também conhecido como Marcos, ou João Marcos. Ele escreveu o livro de Marcos e trabalhou com Paulo, Barnabé e Pedro. João Marcos era oriundo da cidade de Jerusalém. Diz o texto que Pedro quando foi libertado da prisão foi acolhido nesta casa. Marcos era primo de Barnabé, um companheiro de viagens de Paulo e que Marcos acompanhou Paulo na sua primeira viagem, mas que depois se separou. Encontramos João Marcos em Roma e possivelmente foi companheiro de Pedro. Hummmm, será que o João do festejo junino, da fogueira, dos fogos, das comidas típicas, das danças é esse João Marcos? Os estudiosos colocam o seu Evangelho como que um resumo da catequese de Pedro em Roma. Com estes dados expostos acima, podemos perceber algumas diferenças entre eles, João Batista era profeta no deserto e preparava a chegada de Jesus. João evangelista era destacado amigo de Jesus, tornou-se evangelizador no mundo pagão e deixou como legado o evangelho, o apocalipse e as cartas. João Marcos escreve o evangelho e vai testemunhar um Cristo poderoso em atos.

Não, não vejo relação,
Com os festejos juninos!
E na verdade não vejo,
Nenhum desses paladinos.


O outro João que aparece é o Pai de Pedro, empreendedor no comercio da Pesca do mar da Galiléia. Pedro segundo o próprio texto bíblico era filho de um homem chamado de João segundo o evangelho de João ou Jonas segundo o evangelho de Mateus, cuja profissão era Pescador. Também Pedro era chamado de “Bar Jonas” (do hebraico filho de Jonas). O Apóstolo Pedro era natural de Betsaida, na Galiléia, seu pai vivia da pesca e tinha inclusive empregados como o texto nos diz.
Esse João não faz sentido,
Pesquisar seria em vão.
Que parte tem todos os santos
Na fogueira de são João?

Na breve pesquisa vi que a tradição da fogueira surgiu com os povos do hemisfério norte que comemoravam a chegada do período de colheita do milho no mês de junho. E o que tem a ver relação com os três santos?

Para os católicos, o costume de acender fogueiras se deve ao fato de Maria, mãe de Jesus, ter ido fazer uma visita à sua prima Isabel, que estava grávida de João Batista. E para Maria saber do seu nascimento Isabel teria de acender uma fogueira sobre um monte.

Hiiiiii, parece que vamos ter que continuar mais essa pesquisa...

                                        

Nelson Lima é teatrólogo e poeta.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio