Pular para o conteúdo principal

Crônicas e Poesias | João Batista ou Evangelista? - por Nelson Lima

Quantos homens chamados João você conhece? Ou Pedro? Nos tempos da Bíblia havia o mesmo problema. A situação se complicava ainda mais porque as pessoas normalmente só tinham um nome, não tinham nome de família. Às vezes distinguir quem é quem na Bíblia fica complicado, confira:



João era um nome popular no tempo de Jesus. João Batista era um parente de Jesus, filho da prima de Maria. Ele foi cheio do Espírito Santo desde o ventre e preparou o caminho para o ministério de Jesus, pregando o arrependimento. Esse João ficou conhecido como Batista porque batizava as pessoas que se arrependiam no rio Jordão.
João Batista é apresentado como o precursor de Jesus. Aquele que preparou os caminhos viveu em uma época muito perturbada da Palestina, também de muitas expectativas. Encontramos João no deserto de Judá nas cercanias de Jericó no lugar chamado Enon lugar de fontes de águas. João foi aquele que batizou a Jesus. O profeta João Batista exigia conversão e mudança de vida. Assim o deserto se torna o lugar do encontro com o movimento profético para preparar o caminho da chegada do Messias.

Com essas informações
De pesquisa verdadeira,
Esse João Batista ao menos
Não tem relação com fogueira.

O João conhecido como Evangelista foi um dos 12 apóstolos de Jesus. Ele foi um dos apóstolos mais conhecidos e escreveu vários livros do Novo Testamento. João ficou conhecido como o Evangelista porque escreveu o Evangelho de João. Também escreveu as três cartas de João e o Apocalipse.
O apóstolo João, filho de Zebedeu foi chamado por Cristo para ser seu discípulo (inicialmente era discípulo de João Batista. Dos doze apóstolos, tornou-se o mais destacado teólogo e seus escritos provam isto. Ele morreu de morte natural, em Éfeso, no ano 103 d.C., quando tinha 94. Segundo algumas interpretações João era o apóstolo que Jesus mais amava. Ele tinha um enorme afeto pelo Senhor e vice-versa.

Oxente, confuso estou.
João Evangelista também,
Relação com a fogueira
Na verdade não, não tem.

Além desses dois, a Bíblia fala sobre outro João, também conhecido como Marcos, ou João Marcos. Ele escreveu o livro de Marcos e trabalhou com Paulo, Barnabé e Pedro. João Marcos era oriundo da cidade de Jerusalém. Diz o texto que Pedro quando foi libertado da prisão foi acolhido nesta casa. Marcos era primo de Barnabé, um companheiro de viagens de Paulo e que Marcos acompanhou Paulo na sua primeira viagem, mas que depois se separou. Encontramos João Marcos em Roma e possivelmente foi companheiro de Pedro. Hummmm, será que o João do festejo junino, da fogueira, dos fogos, das comidas típicas, das danças é esse João Marcos? Os estudiosos colocam o seu Evangelho como que um resumo da catequese de Pedro em Roma. Com estes dados expostos acima, podemos perceber algumas diferenças entre eles, João Batista era profeta no deserto e preparava a chegada de Jesus. João evangelista era destacado amigo de Jesus, tornou-se evangelizador no mundo pagão e deixou como legado o evangelho, o apocalipse e as cartas. João Marcos escreve o evangelho e vai testemunhar um Cristo poderoso em atos.

Não, não vejo relação,
Com os festejos juninos!
E na verdade não vejo,
Nenhum desses paladinos.


O outro João que aparece é o Pai de Pedro, empreendedor no comercio da Pesca do mar da Galiléia. Pedro segundo o próprio texto bíblico era filho de um homem chamado de João segundo o evangelho de João ou Jonas segundo o evangelho de Mateus, cuja profissão era Pescador. Também Pedro era chamado de “Bar Jonas” (do hebraico filho de Jonas). O Apóstolo Pedro era natural de Betsaida, na Galiléia, seu pai vivia da pesca e tinha inclusive empregados como o texto nos diz.
Esse João não faz sentido,
Pesquisar seria em vão.
Que parte tem todos os santos
Na fogueira de são João?

Na breve pesquisa vi que a tradição da fogueira surgiu com os povos do hemisfério norte que comemoravam a chegada do período de colheita do milho no mês de junho. E o que tem a ver relação com os três santos?

Para os católicos, o costume de acender fogueiras se deve ao fato de Maria, mãe de Jesus, ter ido fazer uma visita à sua prima Isabel, que estava grávida de João Batista. E para Maria saber do seu nascimento Isabel teria de acender uma fogueira sobre um monte.

Hiiiiii, parece que vamos ter que continuar mais essa pesquisa...

                                        

Nelson Lima é teatrólogo e poeta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…