Pular para o conteúdo principal

Fingindo que O conhece – por Lais Barros

Era pouco depois da hora do almoço que duas vezes por semana eu ia atender uma paciente em sua casa. Ela havia sido vítima de uma trombose. Uma senhora muito amável, de cabelos completamente brancos, olhos azuis e uma pele bem clarinha. Uma ex professora de português, muito educada. Atenciosa como se fosse minha avó, me perguntava como eu estava, como haviam sido os meus dias. 



Mas havia um momento que me chamava mais atenção, era quando eu chegava e ia a seu encontro. Era uma alegria, uma receptividade que me enchia de satisfação, e me fazia ficar ainda mais encantada por ela. Que tardes proveitosas, que prazer! Mas não era só a trombose que lhe acometia, mas também o Mal de Alzheimer, uma doença que degenera os neurônios, fazendo com que sua memória se comprometa. E nesse caso específico, seu quadro já era bem avançado. 

Aí você deve está pensando: Então ela não se lembrava de você todas as vezes que te via? Isso mesmo! Ela não lembrava. Talvez o jaleco, os aparelhos e meu jeito fosse familiar, quem sabe. Mas com toda certeza, ela não se lembrava de mim. Eu chegava lhe cumprimentando, “fazendo aquela festa toda”, ela jamais iria fazer a desfeita de me perguntar quem eu era. “Ela Fingia bem!” 

Foi nesse dia a dia que o Espírito Santo me perguntou: E aí, todas as vezes que eu te encontro você me recebe com alegria porque me conhece bem, ou para não fazer desfeita? Afinal, pareço ser importante na sua recuperação, renovação, sobrevivência? Ou toda aquela alegria, mãos levantadas, gritos, arrepios, lágrimas é apenas uma forma tradicional de mostrar que Deus se faz presente? Você me conhece? Tem intimidade comigo? Me convida ao menos duas tardes durante a semana? Ou também finge bem? 

Quando conhecemos alguém, e temos bastante intimidade, o mais comum é que algumas coisas aconteçam, como por exemplo: Ficamos com a linguagem parecida com a dele/dela, o reconhecemos em qualquer lugar que estiver, entendemos seus sinais, identificamos facilmente sua voz e seus passos, conhecemos detalhes de sua história, dentre tantas outras coisas. Sua relação com Deus tem sido assim?

Talvez você achava que O conhecia, mas agora percebeu que precisa encontrá-Lo mais vezes. Te convido a não se conformar com tão pouco! Antes de você nascer Ele já te conhecia, mesmos com seus defeitos o Seu amor nunca diminuiu, mesmo quando você o ignora Ele não cessa em lhe dar livramentos, em te abençoar. Se permita a conhecer a Ele, é o mínimo que devemos fazer. Nunca será tarde! “Clama a mim, e responder-te-ei e anunciar-te-ei coisas grandes e ocultas que não sabes”. Jeremias 33:3 “Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor; a sua saída, como a alva, é certa; e Ele a nos virá como a chuva serôdia que rega a terra”. Oséias 6:3

Lais Barros é fisioterapeuta.


Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio