Pular para o conteúdo principal

Que falta o Carnaval faria - por Marcos André Fernandes

Seja franco...

Que falta faria essa festa que mata, mutila e invalida temporária e devinitivamente, tanta gente no trânsito?




Que falta faria os bilhões jogados na latrina por alguns momentos de festa? E se este monte de dinheiro fosse aplicado em coisas urgente e necessárias que temos para fazer em nossa Nação?

Que falta faria o carnaval se não corresse o mundo imagens de prostituição e lascívia tão comuns durantes estes dias? 

Aliás, e as mulheres, que visão enviesada essa festa trás delas? Para muita gente no mundo o Brasil é terra de mulheres que rebolam a procura de sexo, essa é a imagem que o carnaval vende do Brasil. Que falta faria o carnaval para as nossas mulheres?

Que falta faria o carnaval aos nossos jovens, aos adolescentes e as crianças? 

Que falta faria esse "self service" escancarado de drogas e bebidas? Com certeza faria falta aos traficantes e não faria falta nenhuma às famílias, em especial as nossas novas gerações abertas e indefesas. Faria falta a indústria de bebidas alcoólicas, essa lástima que acaba com a vida de tanta gente.

Que falta faria à menina embriagada que se entregou e perdeu a virgindade, que gerou um filho inesperado, que por sua vez correrá o risco de uma morte violenta no útero da sua pequena mãe?

Sinceramente, seja honesto, que falta o carnaval faria?

Marcos André Fernandes é missionário e músico 

Comentários

  1. Com toda certeza do mundo o carnaval, no meu ponto de vista não faria falta alguma por esses motivos que foram citados no texto acima mencionado e por muitas outras situações indesejáveis que ocorre durante o período de carnaval.
    Esta é minha simples opinião!!!

    ResponderExcluir
  2. Para mim não faria falta nenhuma porque isso é primeiramente acontece muitas coisas erradas no carnaval e também biblicamente falando isso é tipo quase comemorando a morte de João Batista e no Carnaval não tem nada que presta mesmo então para mim não faria falta em mim

    ResponderExcluir

Postar um comentário


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid