Pular para o conteúdo principal

Oswaldo Montenegro e Renato Teixeira se apresentam na Capital da Moda com o espetáculo 'A emoção de um encontro'

Dois artistas completos com muitos anos de estrada e uma carreira consolidada no universo da música brasileira. Oswaldo Montenegro e Renato Teixeira se encontram dia 9 de agosto de 2019 no palco do Cecap (anexo da Casa da Criança) em Santa Cruz do Capibaribe, para honrar a todos com o prazer de assistir ao espetáculo "A emoção de um encontro".


O espetáculo vinha sendo pensado há muito tempo, e agora a dupla de amigos percorre o Brasil com os dois poetas cantando versos um do outro, se irmanando em clássicos como “Bandolins”, “Tocando em Frente”, “A Lista”, “Romaria” e tantos outros.
No espetáculo perceberemos que as influências do barroco mineiro trazidas por Montenegro se conjugam ao folk de Renato, e encontram acolhida nos sons espaciais da guitarra de Alexandre Meu Rei, que também se revezam na viola de 12, além do piano de Yan Montenegro, do violão de Natan Marques e da flauta virtuose de Madalena Salles. São músicos raros, colorindo o show de dois cantores que fazem a plateia sorrir e molhar a alma de emoção. Emoção da terra, emoção da vida, emanada de duas personalidades tão peculiares e distintas, com afinidade de almas irmãs. Dois rios diferentes que, por alguma razão mágica, se percebe que vêm e vão para o mesmo lugar.
´´Há tempos que buscávamos conseguir trazer essas duas sumidades. Estamos muito felizes com essa conquista. Com certeza Santa Cruz do Capibaribe e região vai poder desfrutar de momentos prazerosos ao som de Oswaldo Montenegro e Renato Teixeira. A música de qualidade desembarca na Capital da Moda`` disse Flávio Pontes, um dos diretores do evento.
Você não pode ficar de fora. Reserve já em sua agenda: 9 de agosto no Cecap (anexo da Casa da Criança), Rua Antônio Burgos, 242 - Nova Santa Cruz - Santa Cruz Do Capibaribe (PE).

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid