Pular para o conteúdo principal

Quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra... - por Oscar Mariano

Escutando uma boa música, um trecho da música da cantora Pitty, chamou-me atenção e me fez discorrer algumas linhas em relação a nossa atual situação política. Pois bem, vimos no ano passado um grupo político que se mostrava ser uma opção diferente, um norte para que pudéssemos diminuir aos poucos a corrupção, impregnada em quase todos os partidos e políticos brasileiros.

Foi uma batalha enorme, que se intensificou no segundo turno, pois nunca o PT, tinha enfrentado uma militância tão aguerrida e fiel, como foi a do então candidato Jair Bolsonaro. A batalha foi tão grande em todo país, que ocasionou num atentado ao então candidato do PSL; onde as investigações não foram concluídas, e aqui não estou colocando a culpa no PT. A questão é que, onde muitos naquele momento, estavam indecisos, passaram a acreditar que realmente, a situação precisava mudar. E enxergaram essa mudança, no atual presidente da República.

A questão é que, no período de campanha, o PSL se dizia a moral do Brasil, onde esse estava composto por homens e mulheres, que compactuavam com os mesmos pensamentos do candidato, onde a honestidade era um dos seus pilares. Sendo, que cada ser é único, e muitas vezes as aparências enganam, sendo que mais dia menos dia, as máscaras cairão. A exemplo do caso de supostos laranjas em alguns estados, na campanha de 2018, laranjas esses, justamente no partido da ética e da transparência. Porém, mesmo sendo o seu partido, o presidente Jair Bolsonaro, autorizou a Polícia Federal, que investigue o caso, para mostrar que continua com o pensamento de campanha, em punir com rigor as pessoas envolvidas em corrupção no seu governo.

“Cada um em seu casulo, em sua direção, vendo de camarote a novela da vida alheia, sugerindo soluções, discutindo relações. Bem certos que a verdade cabe na palma da mão...”, mais um trecho da música Teto de Vidro, mostra bem o ponto onde quero chegar. O desejo e a ânsia pelo poder, faz com que as pessoas, passem por cima até mesmo dos seus princípios, pois o dinheiro e o poder, podem cegar o homem. Se conseguirem chegar ao final das investigações, e for comprovado o envolvimento dessas pessoas como laranjas, fica claro que o FUNDO PARTIDÁRIO, é um mal que deve ser extinto da política brasileira. Pois, é um dinheiro do povo, retirado para ser usado de forma que não traz benefício algum para população brasileira. Só para refrescar a memória, o ano passado foram gastos R$ 1.716 bilhão de reais, isso num País que passava e ainda está passando por uma crise em desemprego, educação e saúde. Mas infelizmente, dinheiro para ser investido na manutenção dos nossos representantes, apareceu do além, e foram gastos, “muito bem gastos”.

Espero realmente que concluam as investigações e que os culpados sejam punidos, pois o povo não aguenta mais, tanta esbornia com o dinheiro do povo brasileiro, que sofre em sua terra, por causa de alguns. E que fique claro, que “isso é só uma questão de opinião!”.



Oscar Mariano é pós-graduando em Ciência Política

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio