Pular para o conteúdo principal

Qual é o seu lugar? - por Estêvão Soares

Você já fez essa pergunta? Essa talvez não é uma pergunta que ronde sua cabeça, ou melhor, talvez até ela surja em determinados momentos, mas, a resposta para ela talvez seja um pouco difícil de encontrar, pois, não é algo tão simples quanto parece.

E, só para colocar mais “fogo na lenha” eu vou te fazer outra pergunta: Você faria o seu trabalho sem receber nenhum centavo? Pronto, agora complicou de vez. Sabe porque, nós vivemos em mundo capitalista, regido pelas leis de mercado, oferta e demanda, trocas pecuniárias nas relações, relações baseadas no que eu posso ganhar, e tudo mais que as relações comerciais oferecem. Isto não seria diferente nas relações de trabalho, trabalha-se para receber algo em troca, oferece-se ao patrão sua força de trabalho, e, em contrapartida no final do mês recebe o seu salário.



Mas, e se não houvesse pagamento, você seria capaz de fazer a mesma coisa? Que pergunta! Como sobreviver? como pagar suas contas? como manter a escola dos seus filhos? É, talvez teríamos muitas outras réplicas como estas.

Na verdade, não quero falar sobre trabalho escravo, mas, sobre o propósito no trabalho. Isso mesmo, propósito. E, o que isso tem a ver com fazer aquilo que você faz sem receber nenhum centavo? Tudo.

Propósito é o que dá sentido. Propósito é a essência do que se faz. Propósito é o autoconhecimento do que se é, do que se faz, e pra quem faz. Propósito é a convicção de resposta para perguntas como: “o que estou fazendo aqui”, “para que estou aqui”. Portanto, o trabalho não deveria ser encarado apenas como uma obrigação diária e distorcida, distante daquilo que se vive. O trabalho não é algo desvinculado do ser e existir aqui na terra. O trabalho não é algo que se faz apenas pela relação comercial.

No trabalho o ser humano também se realiza, no trabalho o ser humano também cumpre o propósito para o qual foi criado. No trabalho o homem encontra sua essência e assim sentido para sua vida. Por isso, é tão importante responder a segunda pergunta do início desse texto, você faria aquilo que faz mesmo que não recebesse nenhum centavo?      A resposta a essa pergunta identifica se você está no lugar que deveria estar.

E qual é o que lugar? O lugar que você deve estar é aquele onde não se encontra apenas uma compensação comercial pelo trabalho laboral oferecido, mas, aquele onde você seria capaz de fazê-lo mesmo sem receber nada em troca, mesmo sem receber um elogio, mesmo sem receber um centavo. Sabe porque, nesse lugar, o dinheiro não exerce seu reinado como regente da sua vida, mas o desejo de fazer, de oferecer, de servir, de se entregar, sabendo que aquele trabalho de renova, te dá vida, de faz alegre, te faz vivo, te apresenta esperança.

Quando encontramos o propósito no trabalho, a compensação pecuniária torna-se apenas um adendo aos frutos e resultados intangíveis obtidos pelo senso de convicção de estar no lugar onde se deveria estar. Viver com propósito no trabalho, na vida profissional, mostra que os fins nem sempre justificam os meios, que o alto salário nem sempre justifica o sacrifício da família, que ócio muitas vezes é muito mais criativo que a hiperatividade, que a paz não se encontra nas férias, mas no dia-a-dia com Deus em cada atividade laboral, em cada esforço, em cada sacrifício pelo outro, em cada momento de cuidado do outro.






Estêvão Soares é bacharel em Administração de Empresas. Escreve em ConTexto aos sábados.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…