Pular para o conteúdo principal

O profissional que faz diferença - por Estêvão Soares


“O capitão da guarda os deixou aos cuidados de José, que os servia.”
Gênesis 40:4           

Neste texto gostaríamos de pensar um pouco sobre o profissional que faz diferença. O que é fazer diferença? Neste mundo competitivo e num Brasil ainda mergulhado numa crise econômica torna-se cada vez mais necessário que os profissionais, trabalhadores, independente da classe de trabalho ou posição que ocupa, entenda a necessidade de ser um profissional que faz diferença. E, como perguntei acima, o que é fazer a diferença? Fazer a diferença é não ser mais um na multidão de pessoas que acordam cedo todos os dias para trabalhar, seguem uma rotina estressante e ao final do dia veem a vida passar diante dos seus olhos e voltam pra casa morto de cansados para apenas dormir. Ser um profissional que faz a diferença é não ser mais um empregado igual aos outros, previsível, sem perspectiva, sem sonhos, estressado e cansado do que faz, mas, não “larga o osso” porque sabe que “tá osso”.



À luz das sagradas escrituras gostaríamos de pensar um pouco sobre um profissional que obteve sucesso em tudo que empreendeu, melhor, obteve sucesso em todo lugar que trabalhou, apesar das situações. Estamos falando de José. Homem muito conhecido na bíblia, sua história está registrada no livro de Gênesis, ele tem uma história muito bonita de redenção e perdão, o autor apresenta um enredo que chama a atenção de qualquer leitor, a começar das crianças, mas que por muitas vezes, nós, brilhantes trabalhadores nos esquecemos de refletir o que levava José a obter tanto sucesso.

Como diz o escritor e juiz federal William Douglas, “sucesso é estar no centro da vontade de Deus”, e é mesmo. Jesus por meio de sua vida e obras demonstrou que aquele que é quer ser o primeiro, aquele que quer ser o profissional que faz a diferença, deve ser servo de todos (Mc. 9.35). Interessante que Jesus ainda ressalta lá no Evangelho de Lucas que os reis e poderosos tem aqueles a quem eles dão ordem, “mas não será assim entre vós”. Trago essas referências das palavras de Jesus, pois, quando lemos os capítulos de Gênesis sobre a vida de José muitas vezes o verso 4 do capítulo 40 passa desapercebido quando uma grande chave para o sucesso e para ser um profissional que faz a diferença, “...que os servia”. José os servia. Não era a capacidade de administrar ou a beleza de José que o fez ser alguém do sucesso e que fazia a diferença por onde passava, mas a capacidade de José em servir. José serviu na casa de Potifá, José serviu na prisão, José serviu no palácio. Não importava o lugar ou a posição dentro da empresa, José tinha em mente que estava ali para servir.

O profissional que faz a diferença não é que tem os melhores diplomas ou faz os melhores cursos e está sempre se atualizando, isso tudo é consequência, porque tudo começa com o essencial, serviço. Sabe porque, quando o profissional serve ele não está apenas agradando aos homens, mas antes de tudo, está agradando a quem realmente importa, Deus. José tinha consciência disso, por isso é um grande exemplo de um profissional que servia. O servir é tão importante que algumas características logo se alinham com o serviço para fazerem do profissional um diferencial. Primeiro, a credibilidade, que é um atributo ou qualidade em quem se pode confiar, crê. Neste mundo profissional pós-moderno e sem valores éticos, obter crédito é um grande desafio, pois, as segundas intenções quase sempre estão as escondidas. José, no entanto, era um profissional em que seus patrões colocavam crédito, criam, confiavam, pois, o seu trabalho como serviço a cada dia conquistava esse crédito.
Segundo, o profissional que serve, logo se torna um referencial de postura profissional. Não foi diferente com José, em seus locais de trabalho ele sempre se tornava referencial e logo alcançava lugares de destaques, pois, a sua forma de trabalhar era diferente das demais, José servia, e isso é diferente, portanto, sua postura sempre o colocou em lugar de referencial.

Portanto, se você quer ser um profissional que faz a diferença, aprenda com José que primeiro, não importa onde você esteja, “sucesso é estar no centro da vontade Deus” William Douglas. Segundo, aquele que quer ser um profissional que faz diferença, deve ser um profissional que tem uma postura diferente, e a melhor postura para um seguidor de Cristo é aquela do seu mestre, servo.

A Bíblia nos ensina que “Deus estava com José” (Gn. 39.2), assim, um profissional que faz a diferença não é aquele que trabalha 18 horas diárias, não é aquele que acredita que “pode tudo”, não é aquele que é positivo em tudo, não é aquele que bate todas as metas, mas, é aquele que Deus está com ele, é aquele que é creditável, pois sua postura profissional revela que ele não está ali apenas pelo salário, mas antes de tudo, para servir a Deus por meio do seu trabalho.

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, e não para os homens,”
Colossenses 3:23




Estevão Soares é bacharel em Administração de Empresas. Escreve em ConTexto aos sábados.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Casa dos Pobres São Francisco de Assis precisa de ajuda

Com a pandemia do novo coronavírus, a Casa dos Pobres São Francisco de Assis, em Caruaru-PE, precisa de ajuda. A Casa, que atende a 77 idosos, está seguindo as recomendações das autoridades sobre a contaminação do vírus. Além da preocupação com a doença, já que todos os moradores do lugar fazem parte do grupo de risco, existe outra preocupação: a dos recursos financeiros para manter os trabalhos.

A instituição é privada e sobrevive de doações, mas sem a renda do estacionamento que funciona no local, as receitas da Casa têm diminuído. O estacionamento está fechado ao público desde a sexta-feira (20), de acordo com a orientação de evitar aglomerações e com o objetivo de garantir a segurança e o bem-estar dos moradores.
Entre os itens que a entidade mais necessita no momento, estão as fraldas descartáveis geriátricas. A Casa contabiliza o uso mensal de mais de 5 mil fraldas. O leite é outra necessidade dos moradores, que têm uma dieta em conformidade com a faixa etária.



Como ajudar? As doaç…

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas.

Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas geraçõ…

Estímulo à leitura através da produção literária

Dentre os ofícios do professor, encontra-se o de conduzir os alunos ao universo das artes; ao professor de língua portuguesa, cujo objeto de estudo é a palavra, abordar a arte literária é fundante, nesse intuito, os professores da Escola de Referência em Ensino Médio Professor Lisboa, localizada no bairro da Cohab I, em Caruaru — Pernambucano promovem bimestralmente saraus literários com o foco no despertar da leitura e produção escrita de seus alunos. 



Anualmente, a escola realiza o Concurso de Redação Professora Fernanda Freitas (esse nome é homenagem póstuma a uma ex professora); o concurso elenca diversos gêneros textuais dentre literários e argumentativos; este ano, em sua quarta edição e com o tema “Pelos caminhos da leitura: descobertas do eu e do mundo” os alunos debruçar-se-ão nos gêneros: conto, crônica, dissertação-argumentativa, carta e/ou poesia.
Ademais do concurso, na manhã de premiação dos primeiros colocados em cada categoria, ocorre concomitantemente a publicação da An…