Pular para o conteúdo principal

“Não acho que a reforma da Previdência seja a prioridade do Brasil”, diz Wolney Queiroz na Rádio Cultura do Nordeste

Às 9h30, o presidente Jair Bolsonaro irá à Câmara dos Deputados, acompanhado de ministros, entregar a proposta de reforma da Previdência, que pretende instituir idades mínimas de aposentadoria para os trabalhadores do serviço público e da iniciativa privada.

Por telefone, o deputado federal Wolney Queiroz (PDT) foi entrevistado no programa Comando Geral da Notícia, da Rádio Cultura do Nordeste (1130 AM), apresentado pelos comunicadores Paulo Sobral e César Lucena. Ele deixou claro que se posicionará contrariamente à reforma da Previdência que será apresentada pelo chefe do Poder Executivo Federal.

Para Wolney, governo Bolsonaro tem sido
"desastroso". Foto: Divulgação
“Não acho que a reforma da Previdência seja a prioridade do Brasil”, disse, complementando que a reforma “é prioridade para o mercado, mas não para o povo”. Queiroz ainda criticou o Governo Federal, dizendo que o presidente, nestes 50 dias de governo, “nada falou” sobre renda, emprego, saúde e educação.

Ele pontuou que governos anteriores do PT já fizeram correções de pontos da Previdência. “A idade mínima deve ser feita depois da correção das outras distorções”, opinou.

Ainda durante a entrevista na Rádio Cultura, Wolney Queiroz subestimou a discussão sobre a transferência da sede da embaixada de Israel. “Temas assim não são prioritários, estão desconectados da realidade do povo”, afirmou.

O deputado também declarou que há um clima de “perplexidade” no Congresso com o governo atual, taxando-o de “um início de governo desastroso”. "Espero que ele (Bolsonaro) encontre o caminho e demonstre para que veio", concluiu.

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio