Pular para o conteúdo principal

A sociedade de Deus e do Diabo – por Caio Fábio

Deus e o diabo são grandes conveniências humanas.

Deus é o prato cheio. Afinal, Ele iniciou tudo e todos os processos de criação. Então, qualquer coisa errada entre as criaturas é culpa do Criador. Até o diabo é culpa de Deus, segundo o homem, embora nunca se tenha ouvido o diabo perguntar: Por que me criaste? — embora o homem não faça outra coisa.

O diabo é de importância secundaria, até porque ele adora levar a culpa, ele fica honrado quando o homem diz que o diabo fez..., quando o homem diz que tudo é culpa dele.

Assim, do ponto de vista metafísico, Deus é essencial como solução para o problema do mal quando o mal dói no homem, quando não dói o homem pensa menos... Para o homem mal que não dói não faz mal...

Mas quando dói, o homem esquece tudo, e logo culpa a Deus. Até mesmo o diabo escapa nessas horas, pois, quando o homem quer, recorre aos poderes do diabo, mas quando furação chega..., ninguém faz despacho, ao contrário, lançam a culpa em Deus.

Sim, o homem culpa a Deus até de fazer maldades, pois, se o homem faz maldades, a culpa é de Deus, pois, nessa hora, todo homem tem um Criador, que é o grande responsável pelo que o homem faça, pois, quem criou o homem/mal tem que ser responsável pela criatura perversa.

Deus poderia resolver tudo... Poderia acabar o homem. Sem o homem Deus não tem problemas. Nunca teve.

Eu queria ver mesmo é quem seria o pai que aceitaria ser tratado pelo filho como o homem trata a Deus, até na hora da morte...

E o diabo?...

Ora, o diabo já entra em outra esfera...

Sim, o diabo foi posto na existência para fazer o trabalho sujo de Deus; e, portanto, é um servo mal interpretado e muito infamado...

A maioria que não crê na existência do diabo não o faz por pena do pobre coitado!

Ora, isto é assim de um modo geral, mas, especialmente entre os crentes...

Obviamente a maioria não fala nada disso, mas, pelas cartas que recebo, sinto que este é o latejamento que existe na alma da maioria, quando se defendem, perguntando: Por que Deus me fez assim? Ou, então: Por que Deus deixa o diabo fazer assim comigo?

Gente assim terá que suar muito, sofrer muito, aguentar muito, sentir muito, etc. Sim, até que diga: Eu fiz, eu sou, e eu assumo as consequências, embora peça perdão pela transferência...

Quem transfere nunca fica livre... Pois, a transferência não cura o problema, apenas o aumenta, pois, não sendo a verdade, não liberta, antes, aprofunda o engano como desgraça na alma humana.

Pense nisso!

Caio Fábio é psicólogo e escritor

Fonte: Facebook do Caio Fábio

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Artigo | Covid-19 e os rumos da educação brasileira - por Mário Disnard

Acredito que a experiência de 2020 será um marco decisivo na educação, visto que a pandemia do Covid-19 nos apresenta, mais do que nunca, a necessidade de repensar o papel social da educação para além do processo de escolarização. No Brasil medidas emergenciais foram tomadas para garantir o processo educativo, entre elas, o trabalho educacional remoto. No entanto, diante de tantos imprevistos, gestores, professores, estudantes e famílias encontraram-se num momento de muita pressão, com várias dúvidas e incertezas. Diante da atual situação, os limites impostos têm nos apresentado possibilidades inegáveis de transformação, o que nos remete a uma série de questionamentos: há efetivamente uma preocupação com a qualidade social da aprendizagem? O que este período nos informa a respeito de nossos estudantes e de suas famílias com relação as nossas práticas como educadores?   O que faz sentido manter e o que mudar? É possível repensar o papel da escola e da sociedade na formação das novas

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio