Pular para o conteúdo principal

A Palavra do Senhor é o leite puro que precisamos para crescer a fim de alcançarmos a salvação – por Amanda Rocha


“Leia a Bíblia e faça uma oração, se quiser crescer”, esse é um trecho de uma música infantil, mas os ensinamentos transmitidos são para todos de indiscriminada idade. Ansiar a Palavra de Deus tal qual um recém-nascido deseja o leite materno é imprescindível para crescimento espiritual. Em 1ª Pedro 2.2 lemos uma bela instrução “Como crianças recém-nascidas, desejem de coração o leite espiritual puro, para que por meio dele cresçam para a salvação”, mas o apóstolo adverte de que antes devemos abandonar “toda maldade e todo engano, hipocrisia, inveja e toda espécie de maledicência”, e isso implica em um novo nascimento; é necessário nascer de novo, nascer em Cristo, morrer para o mundo e buscar nova conduta, abandonar o velho homem e ser redirecionado segundo a vontade de Deus. De tal modo como uma criança precisa do alimento adequado para crescer saudável, o alimento espiritual fundamental ao desenvolvimento de todo aquele que nasce em Cristo é a sua Palavra, destaque-se que a falta de contato com esse sustento pode trazer consequências graves, a saber, em Oseias (4.6) verificamos que a ausência de conhecimento pode resultar em nossa própria destruição, devemos conhecer e prosseguir em conhecer ao Senhor. 



Apreciar os ensinamentos do Senhor é saber qual o caminho que Ele nos preparou, é trilhar esse caminho.  Outro aspecto, ademais a leitura da palavra, para o qual a música chama a atenção é o ato de orar, ressalto que não poucas vezes é essencial - além de ouvir a voz de Deus, o que nos é possível através da Bíblia – falar para Deus nossas aflições, o que sentimos e desejamos, tristezas, alegrias, adorá-lo, enfim, tudo isso é possível mediante a oração. 1Tessalonissenses 5.17 nos instrui a orar sem cessar. Embora infantil, a letra da música nos ensinar que ler a Bíblia e orar convém a quem almeja o crescimento espiritual.

Determinadas condutas acompanham aos que passam por transformação espiritual; dentre essas mudanças está o fortalecer-se nos valores que o Pai nos transmitiu, uma vez que são eternos e imutáveis. Os que estão em Cristo não devem relativizar tais valores. Um exemplo que podemos apontar no velho testamento é a história de Noé (leiam Gêneses 6.5-9). O mundo estava entregue aos próprios desejos, a humanidade praticava atos segundo suas próprias vontades, feriam a todo instante os princípios que Deus estabeleceu; mas ao olhar a terra, Deus viu que um homem não havia cedido aos distorcidos conceitos impostos pela sociedade de seu tempo, esse homem não relativizou sua fé, manteve-se firme em adorar e praticar as boas ações segundo as ordens do Criador, por isso Deus o salvou da condenação. 

Ainda em Gêneses (atentem 22.3-12) aprendemos que o desenvolvimento da fé é prova de transformação espiritual. Aquele que está em Cristo, firmado em seus valores, sabe que Jeová Jireh, proverá o que necessitarmos. Concederá força, sabedoria, coragem, cura, alimento, emprego, segurança, a própria fé e, essencialmente, a salvação.

Ler a Bíblia e orar também nos inclinará a mudar de postura diante de situações infortunas, vejam o exemplo de Pedro que negou a Cristo, no entanto após uma vida de amadurecimento espiritual foi capaz de afirmar ser seguidor de Jesus, assim, mesmo torturado e condenado à morte, preferiu ser morto a negar sua fé. Fortalecido, Pedro não se queixou, por contrário, o crescimento espiritual que desenvolveu o conduziu a agradecer a Deus por seus desígnios e é esse desenvolver do Espírito em nós que nos fará praticar a instrução de 1Ts. 5.18, por conseguinte, em tudo daremos graças para executar a vontade do Deus pai.

Ainda como resultado desse estilo de vida que tem a leitura da Bíblia e a oração como essenciais vislumbraremos o entregar-se a Deus, doar-se sem medidas, sem reservas, uma prática não apenas corriqueira, mas vital. E qual melhor exemplo de entrega que não a de Jesus, pois ele “se deu a si mesmo por nossos pecados, para nos livrar do presente século mau, segundo a vontade de Deus nosso Pai” (Gl. 1.4). Não há prova maior de amor que essa e se hoje o amamos é porque Ele nos amou primeiro. Imitemo-lo, façamos uma total entrega. Doemo-lo nosso corpo, alma, mente e coração. Dediquemos nossas vidas ao Senhor, alimentemo-nos da Escritura que “é inspirada por Deus e proveitosa para ministrar a verdade, para repreender o mal, para corrigir os erros e para ensinar a maneira certa de viver” (2Tm.3.16). Leiamos a Bíblia e façamos sem cessar orações e que cresçamos.

A indicação de livro desta semana não poderia ser outro que não a Palavra de Deus. Leia a Bíblia Sagrada. Deus vos abençoe.




Amanda Rocha é professora. Escreve em ConTexto às quintas-feiras.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A intolerância dos tolerantes e os confetes carnavalescos - por Amanda Rocha

A quarta-feira passou, mas as cinzas do carnaval deixaram um imensurável prejuízo, não apenas econômico graças aos diversos dias de inatividade industrial e comercial, não somente pelas grandes cifras de dinheiro público usado para distrair a população embalada por ritmos dançantes e letras chicletes ou pornográficas, enquanto hospitais e escolas funcionam em deploráveis condições. Contudo, diria mais, não unicamente pelo elevado índice de acidentes e mortes nas péssimas estradas. Pensando bem, qual o intuito em citar o elevado número de contágio de doenças sexualmente transmissíveis em relações desprotegidas durante esse período? De igual modo não se faz necessário referenciar a elevada despesa que o Sistema Único de Saúde terá por consequência do carnaval; tão pouco se faz cogente contabilizar o número de criminalidade que se eleva nesse período – assaltos, homicídios, latrocínios, tráfico; os casos de divórcios, de gravidez indesejada - que em parte culminará em abortos realizados …

Regime Militar e Movimentos Sociais, quem é o mocinho e quem é o vilão? - por Amanda Rocha

Desde a década de 70 o Brasil tem-se acrescido em números de movimentos sociais e sindicatos, suas origens datam em anos anteriores, mas sua efervescência dá-se no período de Regime Militar. Eivados da necessidade de luta de classes, esses movimentos disseminam que nasceram para combater o regime ditatorial vigente nas décadas de 60 e 70 no país, mas disfarçam o cerne de suas bases ideológicas, cuja finalidade é a imposição da ditadura do proletariado. Nascida na mente insana e nefasta de Karl Marx, essas utópicas soluções para o fim das desigualdades sociais e econômicas concretizaram-se em diversos países, e por onde passaram promoveram unicamente a igualdade da miséria. Dentre as tantas falácias que divulgam, mentem sobre a ordem dos fatos, uma vez que os movimentos não surgiram com o intuito de lutar pela democracia e findar o Regime Militar, há nessa afirmativa uma completa inversão, visto que o Regime Militar foi conclamado pela população e aprovado pelo Congresso, nessa época, …

Se o sol não brilhar, aproveite a sombra do dia nublado - por Davi Geffson

Já percebeu o quanto costumamos a reclamar? Se faz sol a gente reclama, se chove reclamamos do mesmo modo, na verdade, somos serescom anseios e desejos, mas precisamos entender que nada gira em torno de nós. É um conjunto, são vários humanos com os seus devaneios de “ser”. Achar que tudo gira em torno de nós, e por isso, deve ser do nosso jeito, é o mesmo que caminhar em uma esteira, você perderá peso, irá suar, vai se cansar, entretanto, continuará no mesmo lugar.


Tudo pode ser mais simples se ao invés de reclamarmos, impulsionarmos o sentido do “procure o que há de melhor”, em tudo iremos encontrar o lado positivo e o negativo, se assim não fosse, que chato seria. Não queremos nem muito, nem pouco, queremos balanceado, com equilíbrio, isso é o que mescla a nossa vida. Uma comida com muito sal é péssima, com pouco também, agora quando se coloca a quantidade ideal, huuuum, que delícia. Assim é a vida, nem tanto, nem pouco, mas o suficiente.
Diariamente, Deus nos concede o dia que nos fa…