Pular para o conteúdo principal

Saúde mental - por Estêvão Soares




“Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.”  (Filipenses 2:4)

Em plena era pós-moderna e pós-industrial, era informacional, onde a mente e a informação tornam-se cada dia mais importantes nossa mente é desafiada a se manter sã. Olha que parece fácil, mas não é bem assim, principalmente quando se se têm diariamente que vestir, às vezes, vários eu’s, quando tratamos do eu em casa, eu no trabalho, eu na rua, eu com os amigos, eu na igreja, eu no ministério e tanto outros ambientes que circulamos diariamente e aprendemos a nos portar de acordo com as regras e objetivos de cada lugar.

Além disso, aquele trabalhador braçal da revolução industrial vai cada dia mais dando lugar ao trabalhador sedentário que passa o dia sentado em uma cadeira na frente de um computador e utiliza cada dia mais da sua mente para desenvolver suas tarefas.

Sendo assim, não é de estranhar que em um auditório de igreja tenha-se tantas pessoas acometidas de depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno alimentar, transtorno bipolar, entre tantas outras doenças mentais.  Podemos até parafrasear: “Quem não tem problema mental que atire a primeira...”

Mas, o problema não está somente em ter uma doença mental, a grande questão está em aceitar que é necessário ter uma saúde mental sã. Muitas pessoas têm muitas dificuldades em aceitar que sua saúde mental não está perfeita. Na verdade, podemos até concordar que nossa cultura brasileira está mais para chamar de louco ou maluco alguém com problema mental do que trata-lo como deve ser.

A grande consequência que temos enfrentado é que cada dia mais recebemos notícias de suicídios e suicídios. Isso só revela o quanto à saúde mental é importante e o quanto cuidar dela é necessário.



Uma das características de Jesus que deve ser replicada em sua igreja é ser contra cultural. Isso implica em não seguimos os padrões dessa era, mas nos empenhar em cuidar da nossa saúde mental, pois dela dependemos para viver uma vida abundante. Vida abundante como Jesus prometeu no evangelho de João está relacionada a todas as áreas, emocional, espiritual e física. Jesus ama o homem por completo e o restaura por completo. O propósito de Deus também é uma vida emocionalmente saudável.

Desta forma, Rick Warren apresentou recentemente 3 maneiras para ter-se uma vida saudável no seu maior campo de batalha e patrimônio, sua mente.

O primeiro, não poderia ser diferente, colocar o seu foco em Jesus. Segundo Warren existe um ditado americano que diz: você se torna o que pensa. Partindo desse princípio, em casa ou no trabalho, se quer tornar-se igual a Jesus, se quer ter saúde mental saudável, preencha seus pensamentos com Ele. Como disse Jesus em Mateus 6.33, “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus...”

Segundo, pense no outro. Assim, como recomenda Paulo aos Filipenses, devemos pensar-nos outros, apesar da cultura pós-moderna, humanista, egoísta e hedonista em que vivemos dizer que você deve pensar em você, que você deve se valorizar, que o outro não importa, você tem que fazer a sua parte porque você é o melhor. É muito interessante como Jesus já ensinava e vivia o contrário, não pense em si mesmo, pense no outro, “aquele que quiser ser o primeiro, seja o servo de todos”, em outra passagem Ele diz: “se alguém lhe pedir pra andar uma milha, ande duas”. Portanto, Quando você pensa em Jesus, naturalmente pensará no outro, Ele é o maior exemplo disso.

Finalmente, pense na eternidade. O pastor recomenda que pensar nessa verdade nos faz ter esperança naquilo que Paulo escreveu aos Coríntios em sua primeira carta. “Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam";

Portanto, nesse tempo, não abra mão da saúde mental por vergonha ou o que seja não deixe o outro doente mentalmente se você pode ajuda-lo. Somos pressionados por resultado, lucro, crescimento, desafios, mas, isso tudo não deve ser conquistado à custa de nossa saúde mental. Concentre-se naquilo que realmente importa, segundo Rick, quando começa a se concentrar em verdades como essas todos os seus problemas parecem inferiores em comparação com a glória, alegria e o prazer das coisas que nos esperam na eternidade.

Lembre-se, sua mente é seu maior campo de batalha. A empresa, o negócio, sua casa, a rua, o desemprego, os relatórios, os resultados, as metas, não chegam ao páreo em comparação com os desafios e as batalhas da sua mente, por isso, ore, busquem ajuda, trabalhe, lutem, mas, não esqueça que a esperança de dias melhores é possível quando somos saudáveis mentalmente.

Estêvão Soares é bacharel em Administração. Escreve para ConTexto aos sábados

Comentários


Postagens mais visitadas deste blog

Baixe aqui o livro - Passos para o Reavivamento Pessoal

Clique aqui para baixar a versão PDF.

Por Dentro do Polo | Pernambuco volta a ser o maior produtor de Jeans do Brasil – por Jorge Xavier

O Brasil produziu 341 milhões de peças jeans em 2019. Desse total, o polo produtivo de Pernambuco sustentou 17% do volume. Com algo em torno de 60 milhões de peças no ano, o estado é o maior polo de jeans do país, segundo o iemi - Inteligência de Mercado. Ultrapassou, assim, regiões como norte do Paraná e Santa Catarina. São Paulo é o maior centro comercial, mas, não de produção.Em Pernambuco, a produção está concentrada sobretudo entre Toritama e Caruaru. O valor da produção de peças jeans está estimado em R$ 14,4 bilhões, que corresponde a 9,5% do total nacional da produção textil no ano passado, apontou Marcelo Prado, diretor do leme, que participou de webinar da Santista sobre o futuro do consumo com a covid19. Já o varejo de jeans movimentou R$ 25,3 bilhões, disse Prado. A receita corresponde a 11% do consumo nacional de vestuário, calculado pelo lemi em R$ 231,3 bilhões, com a venda de 6,3 bilhões de peças. Em sua apresentação, Prado mostrou a evolução do mercado nacio

Sem Aspas | Felipe Neto, Álvares de Azevedo e Machado de Assis, qual deles presta um desserviço à nação? - por Amanda Rocha

  O célebre escritor alemão Johann Goethe, autor das obras Fausto (poema trágico) e de Os Sofrimentos do Jovem Werther (seu primeiro romance) escreveu que “O declínio da literatura indica o declínio de uma nação”. Compreenda-se que a formação acadêmica, moral, ética, política, filosófica perpassa a leitura das grandes obras literárias, haja vista que elas instigam o homem a refletir sobre sua própria realidade, sobre os dilemas que o assolam e sobre os valores e conceitos que devem se sobrepor aos conflitos. Hans Rookmaaker, holandês e excelente crítico da arte, diz em seu livro “A arte não precisa de justificativa” que “a arte tem um lugar complexo na sociedade. Ela cria as imagens significativas pelas quais são expressas coisas importantes e comuns. Por meio da imagem artística, a essência de uma sociedade torna-se uma propriedade e uma realidade comuns. Ela dá forma a essas coisas não só intelectualmente, mas também de modo que elas sejam absorvidas emocionalmente, em sentid